17.7.06

Viúvas



Não foi fácil fotografar este exemplar da espécie Trachelium caeruleum. Competimos duramente, num corropio desaconselhável no Verão, com várias borboletas que, inquietas com a promessa de fama, se dividiam entre o dever de colaborar na polinização e o revolteio elegante e sedutor a que nenhum fotógrafo resiste.

Esta herbácea da família Campanulaceae, já com cerca de um metro de altura, acordou com o calor. O azul (do latim caeruleum) das flores faz coro com o das numerosas hortênsias que enfeitam as escadarias da mata e o bordo do jardim formal da Quinta de Sto. Inácio.

O género Trachelium (nome que alude ao formato tubular longilíneo das flores) é de origem mediterrânica, sendo frequente em zonas húmidas do Norte de África, e abrigando 3 espécies europeias. As folhas são serradas e alternadas, ganhando um tom avermelhado quando adultas. As flores têm 5 pétalas e um estilete longo que confere à inflorescência o ar cabeludinho que se nota nas fotos e que lembra os Centranthus.

3 comentários :

Manuel Anastácio disse...

Interessante. Lembro-me de, em pequeno, ter encontrado um exemplar (muito) isolado num pinhal do Ribatejo onde esta espécie simplesmente é inexistente e, só mais tarde, ter encontrado uma bela população desta espécie a salpicar os muros inferiores das escadarias do Bom Jesus em Braga...

Anónimo disse...

Gostei dessa de andar à compita com as borboletas. Excelentefoto. Octávio Lima (ondas3.blogs.sapo.pt)

Anónimo disse...

Desta flor existem nos catálogos franceses várias cores, desde o creme ao rosa.No entanto esta variedade, muito rústica, é a mais vulgar.