30.9.06

BI em 6 alíneas - para o bem e para o mal


Tília de Nuzedo revisitada - Maio de 2006

Gostamos:

1) Da figueira do Campo Alegre que obriga quem passa a vergar-se como crente diante do altar. Não porque no emaranhado da copa se oculte Nossa Senhora, nem por obediência a um impulso pagão de adoração da Natureza: é que quem não se acautela esbarra com a cabeça em cheio nos ramos. Eis pois a figueira-soldado, de braços armados estendidos sobre o passeio, reconquistando o espaço que a cidade roubou à árvore: gostamos dela mesmo que os seus figos não se aproveitem, e mesmo quando perde uma batalha (foi podada há poucos dias).

2) Da árvore que nos empina o pescoço para vermos até onde ela vai.

3) Da árvore vaidosa (como a tília ou a araucária) que vive afastada das irmãs e, contra um fundo luminoso de verdes e azuis, se põe a jeito para a foto promocional.

4) De bosques e alamedas onde árvores de outra índole, assustadiças como pássaros, fogem do fotógrafo escondendo-se umas atrás das outras.

5) Das camélias. De todas as flores. De canteiros & canteirinhos. Do que não é sizento.

6) Do poeta que, do fundo da inesgotável arca, regurgita para nossa edificação esta inédita Autopsiblografia:

Aquele ali é blogueiro:
Bloga tão completamente
Que publica quanto sente
Sem nunca pensar primeiro.


****************************************

A quem passar a corrente? A alguém que já colaborou connosco e é a perfeita antítese do blogueiro retratado na quadra. E, como a bola nos veio de Coimbra, nada melhor do que devolvê-la à procedência.

4 comentários :

T. disse...

Olá! Vim aqui fazer uma visita motivada pelas saudades... saudades do vosso blog que já visitei mais regularmente, saudades das vossas árvores.
Hoje publiquei em «Palavras ao Vento» um post dedicado à árvore (com uma história muito bonita), depois de ter sido visitada por outro blog que também tinha dedicado à arvore um poema lindissimo...
Não somos «blogueiras», mas a cadeia estabelece-se assim...
Até sempre!
T. de PorUmFio

Eduardo disse...

É só responsabilidades e mais responsabilidades...

Paulo Araújo disse...

T: Já fui lá ver as palavras ao vento, e gostei muito das ilustrações. É só essa a edição que falta do Livro do Desassossego.

Eduardo: pois, as responsabilidades. Nós nem perguntámos que desgraças nos aconteceriam se quebrássemos a corrente. Mas com estas coisas não se brinca.

bettips disse...

Tudo o que temos gostado e estamos a gostar. Perfeitamente sintónica(?). (Dito assim por causa da tal celebração com que nos enchem de cacofonias). Aqui vos deixo o meu estandarte/sorriso e um Abç