27.12.06

Saramago de comer



Nesta quadra, de consumo obrigatório de couve-galega (Brassica oleraceae) e outras hortaliças, é tempo de prestar alguma atenção mesmo àquelas nabiças que usualmente não se comem. A da foto, a europeia Raphanus raphanistrum (da família Cruciferae, antes Brassicaceae), parece erva daninha que invadiu zonas de solo arenoso, perto do mar, no Parque da Cidade. Está agora em flor, que é bege, de quatro pétalas em forma de unha estreitando-se na base, e nervação vincada. A folhagem é lirada e áspera; os frutos são silíquas longas, bicudas e cintadas (a marcar o formato das semente como nos amendoins). As raízes são inchadas e deliciosas em saladas. O epíteto específico raphanistrum alude à semelhança com o rabanete, Raphanus sativus - curiosamente, segundo algumas opiniões, um cultivar de R. raphanistrum subespécie landra. A designação vernácula saramago deriva do árabe sarmaq, relacionado com o termo português armoles - talvez do latim holus, hortaliça, e molle, tenro.

6 comentários :

Ana disse...

Obrigada pela beleza da imagem e texto tão enriquecedor.

Anónimo disse...

Sim, o saramago não é usualmente consumido na alimentação. Mas, há algumas décadas foi muito usado, pelo menos em certas zonas do interior do país, pelas gentes pobres, como mais uma hortaliça dada pela natureza. E não apenas a raíz... Hoje, a gente jovem praticamente não sabe o que é o saramago.
O apelido no nosso nobel de literatura estará relacionado com esse facto.
Aproveito a data para dar parabéns aos autores deste "sítio", que frequentemente visito, para aprender, e para me sentir bem.
Muito obrigado. Bom 2007.
José Batista Ascenção, Braga.

Helder Pinto disse...

Descobri este blog há alguns dias, enquanto fazia uma pesquisa sobre o rododendro, e estou maravilhado com a qualidade da informação e a beleza das imagens que aqui são colocados diariamente. Passou a ser um blog de visita diária, um dos poucos que vale a pena acompanhar.

Mendes Ferreira disse...

aqui o fruto sensível da beleza.


bom ano de 2007.


abraço.

Anónimo disse...

Que em 2007 sejas um ser ainda mais consciente em todas as tuas acções e pensamentos para que todos juntos na nossa Nave Terra possamos elevar a vibração do mundo a um nível mais luminoso, mais ecológico e sustentável...

Um bom ano Terrestre em 2007 para ti.

Paulo Araújo disse...

"Ano Terrestre"? Suponho que não nos é dado escolher outro. Aliás, os anos de 365 dias a que estamos habituados são intrinsecamente terrestres, pois, falando só do sistema solar, os outro planetas têm períodos diferentes em volta do sol. A nossa vida inteira não chegaria para um "Ano Plutónico".