30.12.06

Trá-lá-lá, trá-lá-lá...

.
«O urso Eduardo, conhecido entre os seus amigos por Joanica-Puff, ou simplesmente Puff, andava um dia a passear pela floresta, cantarolando todo vaidoso para si mesmo. Tinha inventado uma pequena cantoria nessa mesma manhã, enquanto fazia os seus exercícios de ginástica diante ao espelho.

Trá-lá-lá, trá-lá-lá, enquanto levantava os braços e se esticava para cima o mais que podia, e depois, Trá-lá-lá, trá-lá-oh, socorro!-lá, enquanto procurava tocar nos dedos dos pés. Depois do pequeno almoço, tinha-se posto a repetir esta cantoria para si mesmo, até a ter aprendido bem de cor, como devia ser. Era assim:

Trá-lá-lá, trá-lá-lá,
Trá-lá-lá, trá-lá-lá,
Rão-tão-tirala-ão-tão.
Tirala-lila, tirala-lila,
Tirala-lila, tirala-lila,
Rão-tão-tirala-ão-tão.

Ora ia ele a trautear esta cantoria para si mesmo, caminhando alegremente, a pensar no que é que as outras pessoas estariam todas a fazer, e em qual seria a sensação de ser outra pessoa, quando deu, de repente, com um banco de areia no qual havia um grande buraco. (...)»


Joanica-Puff / A. A. Milne > , trad. Manuel Grangeio Crespo, il. E. H. Shepard. > -Lisboa : Minotauro, [D.L. 1962]

Ajudo-me desta passagem -transcrita da que creio ser a primeira edição em português de Winnie the Pooh- para fazer um balanço de 2006 e exprimir os meus sinceros desejos para 2007: alegres caminhadas por jardins, parques, e porque não ... florestas, trauteando cantorias inventadas durante a ginástica matinal. E votos para que os eventuais buracos, grandes ou pequenos, me conduzam (como ao ursinho) aos meus amigos.

Bom Ano de 2007 para todos nós!

9 comentários :

Torquato da Luz disse...

Cara Manuela, desejo que 2007 nos traga muitos e bons dias com árvores.
Um abraço do Sul.

Alexandre Inácio disse...

Desejo um bom 2007 para esta equipa que nos dá "dias com árvores". Descobri-vos quando procurava, nesta imensa rede, informações e imagens da flora que encontro quando passeio pelas pequenas montanhas, suaves vales e raros bosques, aqui da região centro, sito Alvaiázere e Ferreira do Zêzere. Apesar dos meus 25 anos, e de sempre ter vivido no campo, só no ano que agora finda experimentei a sensação de frequentes caminhadas pela Natureza. Esta foi, sem dúvida, a razão de um 2006 que valeu a pena viver. Deixo uma sugestão: publiquem mais posts sobre plantas e árvores autóctones das nossas florestas (não descurando os parques e jardins das cidades, claro)...é que, mesmo após tanta pesquisa, continuo a não conseguir distinguir um carvalho roble de um carvalho negral...dúvida que se tornou, para mim, quase questão filosófica de urgente resolução. Bem hajam!

JRP disse...

Muito obrigado!
E parabéns por um blog fenomenal!

Anónimo disse...

Mas que boa ideia o joanica-puff para acabar o ano... E para começar o novo ano, melhor ainda.
Estou de chegada do Porto e venho encantada com as Camélias e não só.
Muito bom ano.
Rosa

luis manuel disse...

Começar um novo ano, ou continuar o tempo. O tempo que nos acompanha e é mais amigo do que muitas vezes pensamos.
É com ele que caminhamos pela vida.
Caminhada em que alguns dias se assemelham a buracos, aqui ou acolá, mais obscuros ou sofredores.
Mas onde temos e podemos viver muitos dias em alegria com a nossa natureza.
Podemos até passar "dias com árvores", passeando por jardins, parques, florestas e agora muito recentemente, até através da internet !!! Coisas de blogues !!

Trá-lá-lá... oh!
Um Bom Ano Novo, e ainda um Santo Natal.

Anónimo disse...

Deixo-vos uma liana. Três abraços. Mil obrigadas. Fiquem BEM e FELIZES.

Paulo Araújo disse...

Caro Alexandre Inácio:

O modo mais fácil de distinguir os dois carvalhos é pelo tacto: as folhas do carvalho-negral parecem de veludo, por serem penugentas, enquanto as do carvalho-alvarinho são glabras (i.e., sem pêlo, carecas). Sobre o carvalho-negral escrevi há tempos
este artigo, que talvez ajude também a explicar por que não falamos muito frequentemente da nossa flora autóctone. Mas, se procurar bem, já escrevemos sobre praticamente todas as "nossas" árvores.

Anónimo disse...

Venho aqui deixar os meus sinceros Votos de um Ano de 2007 repleto de boas notícias com árvores.
A questão da nossa flora autóctone parece, de facto, estar a transformar-se num autêntico tabu. É só abater, abater. Sobreiros, carvalhos, etc. Incomodam muita gente e não são ornamentais?
Continuemos a lutar pela preservação das nossas árvores, pela qualidade da vida de todos nós, os presentes e as gerações vindouras.
Onde está a juventude de Portugal, que não se manifesta com a veemência de quem quer viver o futuro em liberdade! E que não se esqueçam que não há liberdade plena sem que se lute com tenacidade pela preservação da Natureza!

Anónimo disse...

bom ano e sepmre obrigada por este belo refúgio :)