12.3.07

Na avenida, ainda


Camellia reticulata

Esta Camellia reticulata floresce (e assim se manterá por alguns dias mais) no número 2547 da avenida da Boavista, no pátio de um edifício hoje ocupado por uma escola, perto do cruzamento com a Marechal Gomes da Costa. Ela tem sorte em ainda estar de pé: os jardins da avenida têm desaparecido a um ritmo acelerado; mesmo quando as velhas casas (há quem lhes chame palacetes) não são demolidas para loteamento, as obras de reconversão não têm o hábito de respeitar os jardins. Paradigma dessa atitude foram as obras de adaptação do antigo Colégio dos Maristas (no número 1354) à função bancária: manteve-se o edifício, mas o jardim foi quase integralmente destruído com o estacionamento subterrâneo e a construção nas traseiras de um novo anexo «para eventos culturais». Umas quantas árvores poupadas à face da rua e um relvado instantâneo parecem ter sido suficientes para disfarçar os estragos, tanto assim que a obra até foi premiada como exemplo de recuperação do património. Mas que outra coisa poderíamos esperar no nosso país, se o homem que destruiu a Quinta da Bacalhoa - um caso incomparavelmente mais grave do que o da Boavista - aparece como um respeitado patrono da cultura e das artes?

3 comentários :

nina sem medo disse...

Eis um belo exemplo da Primavera que se anuncia.

Papoila disse...

Ola, passei para te visitar.
Linda esta Camelia, este manto de petalas rosa,
Pedi a duas gaivotas que levem ate ti um bjinho meu, nas suas asas, para te fazer sonhar,
Papoila Sonhadora,

Flor disse...

Linda camélia e linda foto!



Tomara que não destruam nem ela, nem as outras árcores do jardim...