1.10.07

Dia Mundial da Música


Calystegia soldanella, grafonola-da-praia

A imagem associa-se hoje à histórica marca discográfica His Master's Voice: um cachorro pintado por Francis Barraud a ouvir atentamente a voz do dono através do que alguns consideram ser uma trompa ou um megafone, mas, conjecturamos nós, é de facto a flor desta Convolvulaceae. Entende-se agora a origem dos ruídos que acompanhavam as audições dos discos de vinil: as espirais que guiavam a agulha tinham ondas de mar, sons de búzios e alguma areia. Para assinalar a efeméride do título, eis a solução há tanto esperada deste mistério.

4 comentários :

Paulo disse...

Uma flor que tem um nome perfeitamente apropriado. É uma flor de música.

E o prazer que é ouvir esses discos com som de areia. Têm uma magia especial.

Maria Carvalho disse...

Esta flor vestiu-se hoje a rigor para a festa com o nome que lhe inventámos; quando se completarem as doze badaladas, volta a chamar-se chapeleta.

Paulo disse...

Que pena. Poderia ficar rebaptizada com o nome inventado, em vez de ter de carregar esse outro nome até ao fim da eternidade. Não seria a primeira flor com vários nomes. Podemos propô-lo às autoridades que regem os nomes comuns das flores.

lucia disse...

Maria, olá
Passei por aqui para lhe dizer que deixei um comentário no Valkirio. Divertida sua constatação. Algumas espécies desta família, por aqui, são assim como o nome que lhe inventaram, efêmeras, desaparecem com menos de doze badaladas; mas afinal, se os nomes científicos estão sempre a serem reinventados, tem razão este pois cai muito bem a flor, é mais contemporâneo. um abraço.