17.12.07

O primeiro espelho



«O homem não deve poder ver a sua própria cara. Isso é o que há de mais terrível. A Natureza deu-lhe o dom de não a poder ver, assim como de não poder fitar os seus próprios olhos.

Só na água dos rios e dos lagos ele podia fitar seu rosto. E a postura, mesmo, que tinha de tomar, era simbólica. Tinha de se curvar, de se baixar para cometer a ignomínia de se ver.

O criador do espelho envenenou a alma humana.»


Fernando Pessoa, Livro do Desassossego (Assírio & Alvim, 2001)

2 comentários :

bettips disse...

Corremos o risco de nos apaixonarmos por nós. Narciso não se sabia ser.
A foto de Paulo, as sugestões abaixo da Manuela, as explicações da Maria...tudo conjugado no 1º lugar que frequentei (depois dos Aliados), deve autorizar-me a mandar-vos um abraço muito especial. A esperar que a Natureza vos segrede esse saber bonito que sabeis. Que o SOL vos brilhe, amigos com árvores. Abraços

Maria Carvalho disse...

Cara bettips: Com os seus elogios, que nos souberam tão bem, só sobram aqui narcisos...