25.11.09

Saudade de cor incerta


Scabiosa atropurpurea L.

Foi em São Jacinto, com o Verão já a aquecer os motores, num descampado arenoso entre um pinhal e uma fiada de casas baixas, que vimos estas flores espreitarem por trás de lençóis pendurados num varal. Sabe-se que as flores silvestres, se quiserem sobreviver no incurável desmazelo do nosso território, não podem ser picuinhas: qualquer cantinho lhes serve, por pouco atraente que seja. E o habitat escolhido por estas escabiosas, sem dúvida peculiar, até conferia, no que toca ao solo arenoso, com o que se conhece da espécie. As casas, os lençóis a secar e um ou outro monte de entulho eram tão-somente extras que pouco atrapalhavam.

Para não termos de repisar matéria dada, o leitor fará o favor de reler o que há dias aqui escrevemos sobre o género Scabiosa. A S. atropurpurea, vulgar no centro e sul do país, é também cultivada como planta ornamental, como atestam os nomes comuns saudade-dos-jardins e escabiosa-dos-jardins. Pode, aliás, acontecer que algumas das populações silvestres - e mesmo a própria espécie, como sugere a Wikipedia - tenham origem hortícola. Isso ajudaria a explicar a grande variabilidade da cor das inflorescências, ilustrada em parte nas fotos em cima: podem ser roxas, cor-de-rosa, vermelho-tinto ou assumir tonalidades intermédias.

2 comentários :

Anónimo disse...

São tão bonitas .
E bonito o nome que lhe deram.

Como se também a saudade andasse em parte incerta e nunca ninguém a sentisse...O que, na realidade, não acontece porque até do futuro temos saudades (como diz o poeta e muito bem dito).

bettips disse...

A saudade é sempre
incerta
e vem
vai
sem certeza nenhuma!
Olhar o chão dá saudade de quando estávamos mais perto dele, por exemplo. E essa "escabiosa" estaria com saudade de pés de criança; ou nasceu para alegrar o entulho; ou manchar os lençóis de vermelho tinto. Quem sabe a origem e o destino delas?
Abç