11.1.11

Milfolhas



Achillea ageratum L.


Achillea millefolium L.

O nome Achillea evoca o herói grego da guerra de Tróia que Páris mata com uma seta no calcanhar – o único ponto vulnerável desta personagem, segundo o mito, embora, na Ilíada, Aquiles seja ferido num ombro. Estas herbáceas fariam parte do útil rol de plantas com virtudes medicinais que este guerreiro aprendeu a usar: é afamado o efeito da A. ptarmica em resfriados (e o nome inglês é sneezewort), e a A. millefolium (soldier's woundwort) é particularmente eficaz a estancar cortes e a aliviar queimaduras – é a nossa erva-das-cortadelas. São plantas perenes e aromáticas, mas azedas como todos os bons remédios.

A A. millefolium é uma erva ruderal com folhas de um verde escuro, tomentosas, finamente divididas como penas, mais largas na base e alternadas. As hastes florais, que surgem entre Maio e Novembro, podem chegar aos 50 cm, e as inflorescências agrupam-se em panícula terminal vistosa; cada uma delas tem centro amarelado, mas os florículos externos (os que formam as «pétalas») são em geral brancos e em número de cinco. Ocorre em toda a Europa e na região mediterrânica; em Portugal, encontra-se sobretudo a norte.

A Achillea ageratum tem base lenhosa e folhas oblongas e glabras, as superiores sésseis e erectas, mostrando a face inferior. É nativa do oeste da região mediterrânica – em Portugal aparece no centro e sul, com uma distribuição praticamente disjunta da da A. millefolium – e prefere relvados húmidos ou terrenos incultos. Está em flor de Julho a Setembro, e as inflorescências, reunidas em corimbos amarelos, apresentam florículos menores do que os da espécie anterior, além de «pétalas» mais discretas.

O género Achillea inclui cerca de oitenta espécies e há ainda variedades hortícolas, algumas com flores púrpura ou em tom pastel que temos apreciado nos jardins de Ponte de Lima.

2 comentários :

Miguel disse...

Adorei!

ZG disse...

plantas bem comuns em Lu, particularmente nas nossas montanhas!!