13.11.12

Vida ao sol



Hispidella hispanica Lam.

O Souto do Concelho, em Manteigas, não parece ser o habitat ideal para plantas que gostem muito de luz. Os castanheiros, aqui e ali reforçados por outras folhosas e por sombrios contigentes de coníferas exóticas, sobem em formação cerrada pelas encostas da serra, estendendo um toldo imenso que filtra o sol com eficácia ímpar. Mas só é assim durante metade do ano: pelo menos até finais de Abril, enquanto os castanheiros não ganham folhagem nova - e eles são dos mais preguiçosos a cumprir essa obrigação primaveril -, há luz mais que bastante para que certas herbáceas de aparição efémera floresçam no sub-bosque. E, durante o ano inteiro, há clareiras pedregosas onde vive outro tipo de vegetação, tolerante a solos esqueléticos mas exigindo sol com fartura. São clareiras que se assemelham a grandes feridas, e que se diriam provocadas por desbastes insensatos do arvoredo. Essa ideia é abandonada quando constatamos que tais clareiras, preenchidas de alto a baixo com blocos de pedra solta, nunca tiveram árvores, pois nenhuma árvore poderia medrar e equilibrar-se em terreno tão pobre e tão instável. Ou talvez pudesse, mas com grandes cautelas e demoras. De facto, o mesmo tipo de cascalheira prolonga-se algumas dezenas de metros pelo arvoredo dentro, convertendo-se gradualmente em solo espesso. A expansão dos castanheiros vai criando solo à medida que faz diminuir as clareiras.

Ainda há-de levar mais umas dezenas ou centenas de anos até que as feridas-que-o-não-são desapareçam da paisagem do souto. Uma das plantas que entretanto por lá vai vivendo é esta pequena composta anual cujo aspecto peludo e eriçado lhe valeu o nome genérico de Hispidella. Por alturas de Junho já ela floriu; quando a secura do Verão fizer escaldar as pedras já a sementeira para o próximo ano estará feita.

Com cerca de 30 cm de altura máxima, a Hispidella hispanica, que costuma abundar em habitats propícios na serra da Estrela, tem a dupla distinção de ser um endemismo ibérico e talvez a única espécie do seu género. Em Portugal ocorre apenas no interior norte e centro, de preferência em altitudes elevadas. É, no entanto, fácil de confundir com a leituga (Tolpis barbata), planta muito mais vulgar em todo o país. Ambas têm, em regra mas não sempre, os centros dos discos florais pintados de castanho. Contudo, a leituga, além das brácteas involucrais muito proeminentes (ver aqui), tem as folhas com margens dentadas e sem os longos pêlos que distinguem a Hispidella.

4 comentários :

Carlos M. Silva disse...

Olá Paulo
Se bem me lembro ..já fotografei ambas mas esta só(?) fotografei nos montes do Valle de Jert (uma fenda da Terra, enorme, ao lado de Gredos) em Espanha e deixou-me confuso e só com os esclarecimentos do Naturdata serenei; mas agora estou a ver que terei que fazer uma revisão assaz mais rigorosa. À Tolpis barbata tenho por cá, numa das bouças, mas reconheço que não é muito frequente, aqui, embora já a tenha fotografado no Norte Litoral em variadas vezes.
Abraços
Carlos M. Silva

Paulo Araújo disse...

Olá, Carlos.

Está cada vez mais difícil encontrar plantas que ainda não tenhas visto (descontando, é claro, o truque barato de as ir fotografar aos Açores). Mais a sério, a confusão entre a Tolpis e a Hispidella, embora compreensível, não resiste a uma observação dos detalhes, pois as plantas andam longe de ser gémeas. Por outro lado, na serra da Estrela há tanta Hispidella que custa a crer que ela seja especial - mas, de facto, nunca a vimos senão lá.

Abraço,
Paulo

Carlos M. Silva disse...

Olá Paulo
Engano vosso pois como sabes da matemática, a aleatoriedade da escolha dos lugares (que segui e sigo) pode permitir observar bastantes coisas mas não permitirá nunca a sistemática procura que vocês prosseguem. É que com o 'raios dos bichos do reino animal' não só desprezei as plantas como abandonei a contabilidade das plantas e só as de casa é tem o fim já delimitado!
Mas vou mesmo ter que ver se nas viagens aos Hermínios também lá a fotografei; se sim ..foi uma que me enganou!
Abraços
Carlos M. Silva

Carlos M. Silva disse...

Olá
Sim, fotografada e fotografada na caminhada convosco à S. da Estrela aquando da ida à S. Estrela com o Alexandre/CISE em Julho!!!; pois ..ainda as não renomeara nem cumpri ainda a promessa de enviar umas fotos para o arquivo do CISE. Mas ainda terei que vasculhar se antes (2009)já a fotografar sem saber!
Abraço
Carlos M. Silva