9.5.05

"Minha horta, meu tesouro"

ou "o outro lado" do bairro das Campinas


Na foto da esquerda vê-se o edífício abandonado "por falta de dinheiro" que hoje é notícia no jornal, e a horta bem tratada do Sr. Nogueira. À direita pode admirar-se a Dona Rosa a cuidar do seu faval. "Isto não é nosso! A Câmara pode vir e tirar-nos tudo!". Na horta da vizinha, pelos vistos mais inclinada para a arboricultura, espreitavam dois pessegueiros, um limoeiro e um loureiro.






O Sr. Nogueira-"sem noz"- olha embevecido os pimentos, os tomates e as couves que plantara na véspera. "Sabe, sou da aldeia!". Mas quem não tem uma costela da aldeia? Acrescento eu com convicção.
Queixou-se dos "grafitis" que lhe sujam as paredes da casa e da miséria da construção abandonada, mesmo ali ao ladinho.




Não há horta portuguesa sem rosas e em quase todo o jardim que se preze a couve ou a salsa têm o seu lugar de estimação. Este é o "outro lado" do Bairro das Campinas: todo o terrenito serve para os mais diligentes cultivarem o seu palmo de terra.

E já agora uma pergunta (sr. Vereador): porque é que os jardineiros só aparam a erva e cuidam dos canteiros que bordam as ruas principais e não tratam do interior do bairro?
..

4 comentários :

A. R. Ray disse...

Leu a entrevista do Ribeiro Teles no último nº da revista "Engenharia e vida" em que ele defende o retorno às hortas no meio da cidade como importante medida de planeamento urbano?


A.R.Ray
http://figmento.blogspot.com

Anónimo disse...

Não, por acaso não li. Obrigada pela informação.
O que acontece aqui neste bairro (e provavelmente em outros locais com caracteristicas semelhantes) é que são os inquilinos do rés-do-chão a tomar conta da terreno, ficando por vezes os outros, dos andares superiores, com pena de não terem também "direito" ao seu palmo de terra (o que pode eventualmente causar atritos).
A CMP desenvolveu um programa de hortas urbanas. Mais logo vou procurar informação sobre o assunto.
Manuela

jardineira disse...

As hortas a que a Manuela se refere são provavelmente a horta municipal de Aldoar e a das Condominhas, no Porto.
A Lipor, através do projecto "Horta à Porta", tem vindo também a distribuir talhões de terra para cultivo em agricultura biológica na área do Grande Porto.
susana

Anónimo disse...

Exactamente Susana são essas mesmas. Por curiosidade aqui ficam os links para as notícias da inauguração da segunda horta . As de "Abril" é que parecem estar atrasadas ou já não terão sido notícia?
Segunda horta municipal inaugurada nas Condominhas e há mais duas para este ano

Agricultores citadinos sem medo das enxadas

Porto: Rui Sá Inaugura Horta Municipal e Promete Mais Duas até Abril
Manuela