31.5.05

O nosso licor


Foto: pva 0505 - Crataegus laevigata "Rosea Flore Pleno" no Parque da Cidade

Em Setembro do ano passado, e seguindo a sugestão de Mrs. Grave no seu Modern Herbal (1ª ed. de 1931) de que um excelente licor se fabrica a partir de frutos de pilriteiro embebidos em aguardente e açucar, uma das autoras deste blogue reservou tempo para, cantarolando Bem cantados meus pilritos/Vermelhinhos a brilhar/Se só vieres em Outubro/Podes não l'os encontrar, fazer uma colheita abundante destes frutos nos exemplares de Crataegus monogyna do Parque da Cidade. Assim se iniciou a produção de um já muito esperado Licor de Pilritos DcA, cuja primeira prova não está ainda agendada. Este ano, e impelidos apenas pela curiosidade científica, tentaremos o licor de pilritos de Crataegus laevigata, que exibe nesta altura promissoras flores dobradas cor-de-rosa. A produção será diminuta pois só conhecemos quatro exemplares deste arbusto, todos jovens e escassamente ramificados, o que não permitirá preços amenos. Mas, com a qualidade que a experiência assegura, o negócio irá certamente prosperar.

2 comentários :

Anónimo disse...

Porque será que esta entrada me faz lembrar a história da Mofina Mendes, quando ela diz:

«Vou-me à feira de Trancoso
logo, nome de Jesu,
e farei dinheiro grosso.

Do que este azeite render
comprarei ovos de pata,
que é a coisa mais barata
que eu de lá posso trazer;
e êstes ovos chocarão;
cada ovo dará um pato,
e cada pato um tostão,
que passará de um milhão
e meio, a vender barato.
Casarei rica e honrada
por êstes ovos de pata,
e o dia que for casada
sairei ataviada
com um brial de escarlata,
e diante o desposado,
que me estará namorando:
virei de dentro bailando
assim dest'arte bailado,
esta cantiga cantando.


Estas cousas diz Mofina Mendes com o pote de azeite à cabeça e, andando enlevada no baile, cai-lhe, e diz Paio Vaz:

Agora posso eu dizer,
e jurar, e apostar,
que és Mofina Mendes toda.


Pessival:
E s'ela bailava na boda,
qu'está ainda por sonhar,
e os patos por nascer,
e o azeite por vender,
e o noivo por achar,
e a Mofina a bailar;
que menos podia ser?


Vai-se Mofina Mendes, cantando.»

Boa sorte para o licor...
S.( de Sementinha)

manueladlramos disse...

-melhor dizendo "our liqueur to be"
-o da colheita 04 está bem douradinho, à espera de ser provado ;-)