11.6.07

Lobelia erinus


Lobelia erinus

Encontrámos esta ervinha minúscula num canteiro do Parque de São Roque, entre cravinas e valerianas. As flores são tubulares, com cinco sépalas finas como agulhas (o que talvez justifique o epíteto específico) e cinco pétalas separadas em dois grupos, duas para cima como orelhinhas e três descaídas a formar uma pista para as abelhas se apoiarem. O género Lobelia contém também espécies arbustivas nos trópicos, e outras na Argentina e Chile (como a L. tupa) que produzem efeitos alucinogénios se fumadas ou manuseadas sem cuidado. A designação desta planta deriva do antropónimo Mathias de Lobel (1538-1616), naturalista flamengo, colector de plantas e estudioso de farmacopeia, autor de Stirpium Adversaria Nova (com co-autoria de Pierre Pena), obra que muitos consideram percursora da botânica moderna.

Sem comentários :