20.7.07

Dedaleiras



Digitalis purpurea / Digitalis lutea

Que tristeza tão inútil essas mãos
que nem sequer são flores
que se dêem:
abertas são apenas abandono,
fechadas são pálpebras imensas
carregadas de sono.

Eugénio de Andrade, As mãos (in Os amantes sem dinheiro, 1950)

1 comentário :

O SILÊNCIO CULPADO disse...

Eugénio de Andrade é um dos meus poetas favoritos e este poema revela toda a dimensão de uma mensagem ímpar.