11.11.09

Pinheiro de casca rendilhada


Pinus bungeana Zucc. ex Endl.

Já se sabe que o hábito faz embotar a vista. Onde não é um eucaliptal, a floresta portuguesa é um pinhal; às vezes é as duas coisas misturadas. E pinheiros e eucaliptos não têm qualquer respeito pelo Outono, daí advindo o défice cromático de que padecemos nesta temporada. (Aviso aos impacientes: eu sei que há outras árvores e outras cores, até as vejo da minha janela, mas são claramente minoritárias.) Nessas condições de superabundância tantas vezes nociva, como aprender a gostar de pinheiros? Como ver um pinheiro na sua inteireza de árvore, ignorando que é um entre centenas de milhões? Uma possibilidade é começar por distinguir as diferentes espécies: além do esbelto pinheiro-bravo (Pinus pinaster Aiton) e do amplo pinheiro-manso (Pinus pinea L.), tão banais no nosso país, existem mais de 110 espécies de Pinus no hemisfério norte, distinguindo-se pelo tamanho, pela textura do tronco, e pelo comprimento e disposição das agulhas.

Apesar de acanhado, o Jardim Botânico do Porto ainda guarda algumas surpresas, mesmo para quem julga conhecê-lo bem. O Pinus bungeana, pequeno pinheiro de origem chinesa e uma raridade em colecções botânicas nacionais, foi um dos tesouros que só se nos revelaram depois de os caminhos do jardim terem sido redesenhados em 2007. É uma árvore de crescimento lento, em que o tronco, descascando-se em pequenos rolos, adquire um padrão marmoreado semelhante ao dos plátanos, com tons de creme, rosa e verde-acinzentado. Com um tronco tão peculiar, as agulhas são secundárias para a identificação, mas mencione-se, ainda assim, que elas são rígidas, têm 5 a 10 cm de comprimento, e vêm dispostas em grupos de três.

2 comentários :

José Augusto Macedo do Couto disse...

Boa Tarde,

Deixem-me dizer-lhes que este vosso Blogue é uma maravilha da natureza.

Bem hajam por isso.

E, se me permitem, como nado, criado e residente na ANTIGA, MUI NOBRE, SEMPRE LEAL E INVICTA CIDADE DO PORTO, também amo a nossa Cidade.

Por isso, tenho vindo a colocar no meu Blog em
http://ochamadohellomister.blogspot.com

e no meu Canal do YouTube em
http://www.youtube.com/user/jamcouto1

algumas APRESENTAÇÕES, PEQUENOS FILMES e IDEIAS sobre a nossa Cidade do Porto (e, não só) que gostaria de lhes dar a conhecer.

Quando puderem e quiserem, passem por lá.

Se acharem por bem, a vossa opinião será bem-vinda.

Obrigado e cumprimentos do

José Couto
Porto
PORTUGAL

Email: jamcouto1@me.com
http://gallery.me.com/jamcouto1

Anónimo disse...

Apesar de não se sentir a chegada do Outono na presença dos pinheiros eu fico muito agradecida que tenham falado nestas árvores que eu adoro...Sentir o cheiro único e resinoso dos seus caules dá uma grande paz. Este fim de semana passado entre pinheiros eu percebi que, afinal, eles não pintam o céu de amarelo ou vermelho quando é outono mas as suas "agulhas" quando caem e se desfazem dão- nos também o outono que se deseja.( e este ano tarda em chegar) Descobri essa subtileza e fiquei a gostar ainda mais deles.
Por isso, hoje gostei de os ver aqui. Obrigada por esta coincidência!
Olívia