1.11.09

Santa Pistácia


Schinus terebinthifolius Raddi [e não Pistacia atlantica Desf.]

Ha quatro annos que recebemos d'um nosso amigo vinte e tantas sementes acompanhadas do nome de Pimenteira da India. Semeamol-as e nasceram bem. As plantas foram-se desenvolvendo e passaram todo o inverno ao ar livre, sem que as geadas as prejudicassem. Plantamos um exemplar no jardim [das Virtudes], e em outubro media cerca de 1m,50 d'altura. Pouco depois florescia, e viamos que a semente, enviada pelo nosso amigo como o nome de Pimenteira da India, não era outra senão a Pistacea atlantica.

José Marques Loureiro, Jornal de Horticultura Prática, 1881 (213-214)

Esta nota de José Marques Loureiro, jardineiro do Horto das Virtudes, não foi infelizmente ilustrada por uma foto, mas esta é das poucas plantas da cidade de cuja infância conhecemos alguns detalhes. A árvore continua de boa saúde, a florir e a encher-se de frutos entre Novembro e Março, embora cada vez mais sozinha no seu socalco - longe vão os tempos em que era vizinha de centenas de camélias e visitada por reis e admiradores. Com 122 anos, esta jovem pistácia poderia aspirar, em lugares bíblicos onde até as pedras arremessadas são sagradas, a mais um ou dois séculos de história. Num jardim dito das virtudes, favorecido por verões longos e secos, pode abalançar-se à eternidade.

A Pistacia atlantica é uma árvore com ritidoma castanho rugoso, folhagem perene, folhas compostas com o eixo central alado e três a nove folíolos. É originária do Sudeste da Europa e do Norte de África, e o epíteto específico foi atribuído pelo botânico francês René Desfontaines (1750-1831) depois de uma expedição em 1785 às Montanhas do Atlas, no Norte de África.

Sendo planta dióica, estranha-se a profusão de frutos que fotografámos, pois não conhecemos nenhuma outra P. atlantica perto desta; o mais provável é que sejam bagas estéreis.

Errata. Leia aqui uma importante correcção a este texto.

3 comentários :

Rosa disse...

Viva Maria,
Agora fiquei baralhada, são espécies diferentes: A Pistacia atlantica e a Pistacia lentiscus? São tão semelhantes, nas folhas e nos frutos.

Maria Carvalho disse...

Olá Rosa. A Pistacia atlantica e a Pistacia lentiscus são espécies diferentes, claro, embora apresentem semelhanças que as colocam no mesmo género. Mas é fácil distingui-las, e as fotos do Paulo ajudam. Ora compare comigo: a P. atlantica é uma árvore, a P. lentiscus um arbusto miúdo; a folhagem da P. atlantica é verde escura, a da P. lentiscus tem uma tonalidade verde alface; nas folhas (compostas) da P. atlantica há um folíolo terminal (vê-se bem na foto, está mesmo à frente), que não está presente nas da P. lentiscus - as folhas desta parecem acabar num V; os cachos de frutos da P. lentiscus são mais densos, além de serem de um matiz menos carmim.

Rosa disse...

Está claro Maria, obrigada. Andava enganada. Tenho no meu jardim duas Pistacia atlantica, Sempre ouvi chamarem-lhes pimenteiras (lá está), julgava, erradamente, que eram P. lentiscus de porte surpreendentemente grande.