6.4.12

Bendito cardo


Cnicus benedictus L.

A bênção, do latim benedictione, que noutros tempos se pedia ou se dava, sempre foi uma graça ilusória; porém a sua recusa, castigo que selava zangas familiares, significava um desamparo que nenhum esconjuro podia atenuar. Além disso, este bem-fadar exigia renovação obrigatória a cada reencontro, num compromisso só comparável às saudações diárias. Pelo contrário, a bênção que, em reconhecimento das suas propriedades medicinais, foi na antiguidade conferida a este cardo tem sobrevivido às mudanças, e em nenhum dos géneros por onde tem passado (Carbenia, Hierapicra, Cnicus, Centaurea) dispensou ele o abençoado epíteto. Tudo indica que o nome vernáculo precedeu a designação científica e a tem autoritariamente condicionado.

Certa é também a vocação franciscana do cardo-bento: nativo da região mediterrânica, incluindo Portugal, é ruderal, resistindo bem à secura e à pobreza do habitat, desde que temperado com ar frio de montanha. Por cá, segundo a Flora Digital, é mais frequente no interior sul, embora também ocorra em Trás-os-Montes e nas Beiras. Os exemplares que vimos perto de Celorico da Beira, num terreno inculto de futuro incerto, pareciam plantas prostradas, com uma roseta de folhas lanudas e serradas, de uns 30 cm de comprimento, a rodear o capítulo de flores apoiadas em brácteas imbricadas e espinhosas que se ligavam por uma teia de penugem. Mas as referências indicam que o caule central pode atingir 60 cm de altura, elevando o centro amarelo. Apesar de oficialmente só florescerem no Verão, no Inverno atípico que nos calhou algumas floriram já em Março; sendo plantas anuais, outras virão no calendário certo. As flores, amarelas, são hermafroditas, com as marginais estéreis servindo de mero enfeite. Os frutos são aquénios com numerosos papilhos.

3 comentários :

Gina disse...

A junção das belas imagens com o relato tão detalhado e curioso que vocês fazem, é algo que torna esse blog muito interessante!
Bjs. e boa páscoa!

Carlos M. Silva disse...

Olá
Estranho padrão; nunca vira tal coisa mas também não vaculho como vocês!
Embora dentro do padrão geral dos 'cardos', é estranho e curioso!
Abraços
Carlos M. Silva

Maria Carvalho disse...

Foi isso mesmo: vasculhámos um terreno aparentemente de interesse reduzido - basta vermos amontoados de tijolos e capim sem nome que torcemos logo o nariz -, e foram várias as surpresas. Temos de lá voltar.