24.11.04

Rainha Faia


Foto: pva 0411 - faia no jardim da Casa das Artes - Porto

Tirando uma ou outra menção ocasional, ainda aqui não tínhamos prestado a devida atenção à faia (Fagus sylvatica) - ela que é, em beleza de formas, a mais séria candidata, a par da tília, ao título de rainha das folhosas europeias. Tal como à tília, também à faia a perda das folhas não diminui o encanto, com a nudez invernal a evidenciar a arquitectura harmoniosa da sua copa e a lisura sem mácula do seu ritidoma cinzento.

Algumas notas soltas sobre a faia:

1) A Fagus sylvatica, árvore da família das fagáceas (a que também pertencem os géneros Quercus e Castanea), não faz parte da flora autóctone ibérica, embora seja espontânea em boa parte da Europa.

2) A faia é, em cada ano, uma das últimas árvores a despir-se de folhagem, já no termo do Outono; e, nessa fase, tem já muito adiantada a preparação da época seguinte: os botões das novas folhas, em forma de agulhas bojudas, surgem ainda no final do Verão anterior. As folhas secas formam, em redor de cada árvore, um espesso tapete que demora longo tempo a decompor-se - o que, juntamente com a copa densa e vasta, dificulta a germinação de outras plantas. Por isso é comum, no norte e centro da Europa, as faias formarem bosques mono-específicos.

3) A faia é a melhor árvore para inscrever mensagens (passatempo aceitável se praticado com moderação): coração que nela se grave não se apaga, antes se expande sem distorções e dura uma vida inteira - porventura até às bodas de ouro, garantidamente até ao divórcio. Para o mesmo efeito, a pior árvore é, sem dúvida, o plátano: o contínuo descascamento do tronco faz desaparecer em poucos meses qualquer jura de amor eterno que se lhe confie.


Foto: mdlr 0411 - Bosquete de faias em Serralves

4) A faia é frequente em jardins e parques portugueses (não tanto em ruas, porque as suas dimensões não a recomendam para alinhamentos), e será pois escusado dizer aos leitores onde a podem encontrar. Mas seria indesculpável não assinalar, no Porto, o bosquete de faias em Serralves, que é o mais bonito e homogéneo que conhecemos, e inclui um espécime do raro cultivar asplenifolia, com folhas profundamente recortadas.

1 comentário :

träsel disse...

prezado irmão ibérico, li com atenção seus comentários sobre as faias. gostaria de saber se poderia me tirar uma dúvida: sabe o nome que se dá em nossa língua à "copper beech" inglesa, ou "faia acobreada"?