16.11.04

Árvores do Jardim do Carregal #3


Cunninghamia lanceolata - J. Carregal, Pedras Salgadas, Santo Inácio

O Jardim do Carregal, de 1897, é uma das obras mais bem sucedidas do jardineiro-paisagista Jerónimo Monteiro da Costa que, como director dos jardins municipais - e ao lado de Baptista de Lima Júnior, então vereador com o pelouro dos jardins - desenhou a maioria dos espaços verdes que marcaram a cidade no início do século XX. A lista notável de jardins que esta equipa construiu, ou melhorou, alguns dos quais sofreram entretanto opções urbanísticas que lhes adulteraram a fisionomia, inclui, além do Jardim do Carregal, o do Passeio Alegre, os das praças Infante D. Henrique, Carlos Alberto, República e Marquês de Pombal, o da Rotunda da Boavista, o do Campo 24 de Agosto e o Jardim da Arca d'Água.

O Jardim do Carregal é quase uma mini-floresta de coníferas. Predominam ali árvores de folha perene, que mantêm todo o ano os traços essenciais do ajardinamento romântico. A Cunninghamia lanceolata é um dos seus prodígios, uma taxodiácea de origem chinesa. O nome do género homenageia James Cunningham, que enviou em 1702 as primeiras amostras desta árvore para Inglaterra; o epíteto da espécie refere-se ao formato "em lança" das folhas, que são verdes na face superior, com duas bandas claras na inferior, e espiralam pelos ramos (como na Araucaria angustiolia; segundo o livro Portugal Botânico de A a Z, um dos nomes comuns da Cunnighamia é justamente falsa-araucária). As pinhas femininas parecem piões, com bico pronunciado; as masculinas formam ramalhetes pequeninos na ponta dos ramos.



No Porto não conhecemos mais exemplares de Cunninghamia. Mas na Quinta de Santo Inácio, em Vila Nova de Gaia, fomos surpreendidos por algumas árvores desta espécie ainda jovens e com excelente desenvolvimento. No Parque de Pedras Salgadas foi-nos apresentada outra com a copa muito aberta, típica das árvores mais idosas.

Anteriores na série: Árvores do Jardim do Carregal #1 e #2
Fotos: pva 0410/0411

2 comentários :

Anónimo disse...

Desculpem a minha ignorância mas estas árvores de que família são? ;-)Giga

Anónimo disse...

São taxodiáceas, como as sequóias e os taxódios. Pip