1.11.05

Alpinia zerumbet


Fotos: pva 0509

A primeira imagem que vimos desta herbácea de origem indiana, parente do gengibre (Zingiber officinale) e igualmente com rizomas aromáticos, foi a da capa do livro Tropical flowering plants, de Kirsten Albrecht Llamas. Há poucos dias, no Jardim Botânico do Porto, num recanto em meia-sombra, encontrámos um exemplar com uns 3 metros de altura, folhas lanceoladas e luzidias, e um cacho de flores. As três pétalas de cada pérola da inflorescência, que parecem de porcelana, abrem-se para revelar uma "língua de dragão" (característica da família Zingiberaceae) que nesta espécie é dourada com riscas de cor magenta. O termo zerumbet deriva da designação persa zarambãd; o género Alpinia homenageia o naturalista italiano Prospero Alpini (1553-1617).

2 comentários :

Anónimo disse...

Relativamente ao pobre plátano degolado abaixo. Quando estudante aprendi diversos sistemas de poda das variadas fruteiras cultivadas, mas nunca vi(li) qualquer referência ao "sistema de poda camarário" , caso do plátano abaixo) que constato disseminado por quase todos os jardins camarários ou nas ruas do País.
Alguém sabe a razão (justificação) desta violência?
Aquilo assemelha-se-me a como se cortassem as orelhas, o nariz, os lábios, etc. dos funcionários camarários responsáveis pela acção.
Duarte Marques

Anónimo disse...

Relativamente ao pobre plátano degolado abaixo. Quando estudante aprendi diversos sistemas de poda das variadas fruteiras cultivadas, mas nunca vi(li) qualquer referência ao "sistema de poda camarário" , caso do plátano abaixo) que constato disseminado por quase todos os jardins camarários ou nas ruas do País.
Alguém sabe a razão (justificação) desta violência?
Aquilo assemelha-se-me a como se cortassem as orelhas, o nariz, os lábios, etc. dos funcionários camarários responsáveis pela acção.
Duarte Marques