4.4.06

«Um plano mui elegante»

«Foi, como nos descreve Carlos de Passos no seu Guia Histórico e Artístico do Porto, publicado em 1935 pela Casa Figueirinhas, "debaixo de um plano mui elegante", que no dia 4 de Abril de 1834 foi aberto ao público aquele que ainda hoje permanece como uma das jóias verdejantes da cidade do Porto: o Jardim de S. Lázaro, ou, na sua designação oficial, Jardim de Marques de Oliveira. Apesar de ter sido concluído somente em 1841, o mais antigo jardim público portuense foi inaugurado no ano em que se iniciaram as suas obras, em 1834, no dia do aniversário de D. Maria II, Rainha de Portugal. Tido durante muitos anos como local de reunião por excelência de numerosas famílias do Porto, e apesar de estar, hoje em dia, diferente dos seus anos iniciais, este aprazível recanto verde, cujo traçado se deve ao jardineiro municipal João José Gomes, conserva ainda algumas das suas frondosas espécies arbóreas, como as esplêndidas magnólias (Magnolia grandiflora), as tílias (Tilia argentea), ou as camélias (Camellia japonica), bem como outros vestígios da sua época áurea, como o lago, o coreto, e a fonte de mármore vinda do Convento de S. Domingos, pontuado ainda por várias esculturas, como a de autoria de Soares dos Reis dedicada ao pintor João Marques da Silva Oliveira (1853-1927), que dá o nome ao jardim. Com o pretexto dos seus 172 anos de existência, fica então aqui o convite para uma visita a esta magnífica obra municipal.»

Texto e fotos da Arq. Paula Morais
(... a quem muito agradecemos a lembrança e o valioso contributo. Sobre as magnólias, apenas uma nota: quando escrevemos o livro À sombra de árvores com história, a consulta de documentos camarários da época permitiu-nos concluir, sem grande margem de erro, que essas árvores foram plantadas em 1911, data em que o jardim sofreu importantes modificações.)

2 comentários :

RPM disse...

uma página a 8 mãos muito bonita... paraceu-me entender isso.

o Doutor Jorge paiva do Jardim Botânico de Coimbra, amigo meu, é um verdadeiro especialista nesta matéria de botânica.

como ainda não sei 'linkar' no meu blogue, guardo o vosso nos meus favoritos...

já reparei que está bem guardado

RPM

Anónimo disse...

As coisas simples que só são possíveis com pessoas como vós! Pena é que ao falaram de "reformados" e problemas da longevidade dos velhos, nos passem sempre a mesma imagem de gente de olhos vagos ou a jogar cartas! Se não fossem os "antigos" onde haveria, vivendo ainda, Jardim de S. Lázaro? A propósito, não pude ir ao Merc F. Borges: aguardamos todos, as vossas imagens/comentários especiais.
Não cansam, acho que estamos - os outsiders - todos de acordo. EP