9.3.07

Ode à cebola... e ao alho

Cebola,
luminosa redoma,
pétala a pétala
formou-se a tua formosura,
escamas de cristal te acrescentaram
e no segredo da terra sombria
arredondou-se o teu ventre de orvalho.


Pablo Neruda
(tradução de José Bento)


Allium neapolitanum (alho-de-Nápoles)

5 comentários :

J disse...

Mais uma razão para gostar de alhos, a julgar pela beleza da imagem (estes só para comer com os olhos?). E como sucedem bem à ameixoeira. Obrigado também por serem verdadeiros "pioneiros" da Primavera.

Maria Carvalho disse...

Estes alhos (flores, folhas e bolbos) também se comem. As folhas e as flores sabem bem cruas em saladas; os bolbos, cozinhados ou não, usam-se como tempero de sabor suave a alho ou às rodelas como acompanhamento. Dizem que, como o alho usual (Allium sativum) ou a cebola (Allium cepa), são bons no combate ao mau colestrol e como tónico. Além disso, a planta esmagada dá um suco que repele mosquitos e traças.

J disse...

Obrigado pelas informações que me suscitaram o pedido de outra (fiquei mesmo com vontade de os comer!), apesar de saber que estamos em cidades diferentes: esta variedade compra-se com alguma facilidade ou o mais fácil é optar por produção própria?

Ponto Verde disse...

Saudações verdes e Primaveris.

Meg disse...

Mais uma oferta da bettips... ela sabe o que procuro, e prometeu-me que aqui encontraria a água para a minha sede.
Flores, pedras e rios... e neste caso, alhos, e sinto-me uma ignorante profunda perante o que acabo de ler sobre eles.
Imagem lindíssima, fascinante...
Aceitas-me no teu espaço?
Um abraço