20.4.07

Tulipeiro revisitado


Tulipeiro (Liriodendron tulipifera) -Casa das Artes- Porto
Ver álbum de fotos

8 comentários :

Ana Patudos disse...

Olá , boa tarde.
O meu nome é Ana Paula e cheguei aqui através do Pedro Santos, do sombra verde.
Gostaria de vos pedir ajuda , após ter visto o vosso espaço extraordináriamente belo.
No meu blog tenho fotos de uma árvore, que gostaria muito de saber acerca dela:
qual a sua espécie, nome vulgar e nome cientifico. Ela é maravilhosa e segundo me disseram tem para cima de 500 anos , é possivel?
Fico a aguardar uma resposta vossa , se possivel, claro.
Quanto ás minhas visitas aqui, é certo que voltarei, pois fiquei rendida pela beleza.
abraço
Ana Paula

Paulo Araújo disse...

Julgo que é uma bela-sombra (Phytolacca dioica), árvore originária da Argentina. Há algumas árvores destas em Lisboa que estão classificadas de interesse público. Apesar do tamanho, não é razoável atribuir-lhe idade tão avançada, pois o mais provável é que há 500 anos não houvesse árvores dessas em Portugal. Já agora, onde foram tiradas as fotos?

António disse...

Excelente slide-show.
Saberão, por certo, que existem dois exemplares de Tulipeiros no Jardim Botânico de Coimbra, ladeando a estátua de Avelar Brotero, logo na entrada principal (Não tão imponentes como este). Não estarei tão certo que saibam (mas talvez me engane) que em Coimbra se chamava, tradicionalmente no meio académico, a estes dois exemplares a "Árvore do Ponto" porque a sua floração coincidia com a altura em que seria suposto os Estudantes Universitários iniciarem os seus estudos mais afincadamente para os exames de final de ano (logo após a Queima das Fitas).
Parabéns pelo V. blog!

manueladlramos disse...

Caro António
Que coincidência! Ainda ontem passei por esses tulipeiros do Botânico -e só um pequeno ajuste quanto ao local onde eles se encontram: mesmo a ladear a estátua de Avelar Brotero estão uns exemplares de Ginkgo biloba e ao lado destes, os tulipeiros de que fala; realmente vistos da entrada os tulipeiros estão em primeiro plano.
Já agora "mando" esta fotografia onde se vêem perfeitamente um dos tulipeiros que muito bem refere, do lado esquerdo da estátua, em segundo plano em relação aos Ginkgo-
Desculpe estas minudências... é a minha costela didáctica a funcionar e destinam-se a quem (como eu há bem poucos anos) não sabe distinguir um tulipeiro dum /a Gingko.

Que bom ter lembrado aqui a origem do nome que lhe davam (pelo menos em Coimbra). Ontem reparei justamente que na subida para Universidade alguns tulipeiros já estavam em flor e falei desse detalhe aos alunos que iam comigo. (Eles, na zona da Póvoa de Varzim , chamam tulipeiras às magnólias).

Obrigada pelas suas simpáticas palavras ;-)

Greenman disse...

Não conhecia esta árvore e as fotos do vosso slide show estão espectaculares para nos mostrar todos os pormenores e detalhes que possam escapar ao mais distraído...

As flores são muito bonitas, mas a árvore é majestosa!

asn disse...

Excelente apresentação do Tulipeiro.
Vamos lá a ver se consigo identificar os Tulipeiros que me garantiram que plantaram no princípio deste ano, no Largo Papa Paulo VI em Leiria.
Tenho andado a acompanhar a evolução do crescimento daquelas árvores e tenho imensas fotos.
A "árvore do ponto" é mesmo esta, isto é, deste género?
É por causa cá dumas confusões minhas acerca duma Árvore do ponto que havia no Jardim Luís de Camões cá na cidade e que, inexplicavelmente, a cortaram.
Sem se dar explicações públicas. Como se nós, os habitantes da cidade, não tivéssemos direito a saber antecipadamente, quando e porquê é que uma ÁRVORE é abatida. Ainda por cima, uma árvore com muitos anos de vida e simbólica.
Onde está a sensibilidade dos decisores? E nós, os outros, não temos direito a sermos informados previa e convenientemente?
Já não é a primeira vez que acontecem situações destas. Acontece inclusivamente que até já se chegou ao cúmulo de abater todas as árvores do Largo da Sé, em 2000 salvo erro, ainda antes das 9 horas da manhã, nitidamente à socapa. Por acaso cheguei nessa altura porque tenho lá casa de família e, como ando quase sempre, de máquina fotográfica preparada tirei uma sequência de fotos. Dramática! Pouco faltou para me baterem! Recebi ameaças isso posso garantir. Como se não pudéssemos fotografar na via pública, as coisas públicas1
Que diabo de República esta!
Um abraço
António
ps- ainda aqui virei indicar o endereço onde coloquei uma reportagem sobre este assunto.

asn disse...

continuando...
http://dispersamente.blogspot.com/2007/04/largo-da-s-em-leiria-1974-2007.html

António

António disse...

Faz falta uma Caixa de Mensagens. Na sua ausência, utilizo este espaço para divulgar um conjunto de excelentes fotos, a maioria feitas no Jardim Botânico de Coimbra, incluindo a sua famosa Mata, no dia 30 de Setembro de 2006:
http://figaro.fis.uc.pt/fisica/Entremargens/Entremargens_fotos/Welcome.html
Trata-se de um evento em que tive o privilégio de participar, também como organizador, que, aliando o fim último de angariar fundos para a Acreditar construir uma Casa de apoio às crianças e famílias com cancro, pretendeu levar os participantes a fazer um percurso contínuo, da Alta à Baixa da cidade de Coimbra. Unindo duas margens, intitulou-se Entremargens, e teve na altura a particularidade de permitir ao grupo de 150 pessoas atravessar a Ponte Pedonal, ainda por inaugurar.
Mais pormenores do projecto que esteve na génese deste passeio memorável em: http://www.ucacreditar.blogspot.com/