20.6.07

"Une prairie de fauche au Jardin des Plantes"

.

Clicar para aumentar
Desencantei estas fotos do prado do Jardin des Plantes, semeado com uma mistura de treze plantas espontâneas na região parisiense, depois de ler o que o Paulo ontem escreveu sobre o regresso das flores silvestres aos Kew Gardens. É verdade que o referido campo não estava então muito florido, mas tenho que confessar que, apesar de pertencer ao clube dos fãs da vegetação ruderal, na altura, a minha atenção estava decididamente mais voltada para o plátano plantado por Buffon em 1785 > (ao fundo na foto) e para um Ginkgo biloba > igualmente histórico seu vizinho. (Ainda não arranjei tempo para legendar no álbum as fotografias das árvores históricas que visitei e revisitei nessa breve estadia de há dois anos.)

3 comentários :

asn disse...

http://dispersamente.blogspot.com/2007/06/crista-de-galo-rvores-de-leiria.html

Talvez que haja interesse em debater o assunto relacionado com o post acima.
A identificação das árvores e outras plantas e flores de fruição pública (em jardins e outros espaços públicos)assume-se como uma questão muito importante, a passar a ser tomada em conta urgentemente, pelas Câmaras e outras entidades públicas que têm responsabilidade/autoridade nesta área.
Um abraço
António

bettips disse...

É melhor nem falar...porque mandam cortar tudo e pôr "grana"! Digo eu, que só vejo desaparecer árvoresa adultas e canteiros... E coisas miúdas como estas, flores pequeninas onde correm os olhos e se deitam cabeças, quem as verá? Nós, os que aprendemos que as plantas choram e falam... Quem nos dera que, ao menos, as árvores das cidades fossem identificadas. Lembro a "chachada" que substituiu todas as placas de toponímias, identificáveis à distância, por umas coisas verdes de letra minúscula. Imagina-se o trabalho e o dinheiro que isso teria custado!

antonio disse...

Penso que os serviços que gerem os jardins públicos deviam ter uma atitude pedagógica que não seria muito onerosa. Era colocar uma placazinha identificativa nas árvores mais significativas e até com a idade.
Cumprimentos, antonio