16.10.07

Lugares do Outono



......Outono, labirinto de silvas,
......de sílabas, digo: pupila lenta,
......rio de inumeráveis águas
......e de amieiros onde canta
......a derradeira luz das cigarras,
......de vidro ainda, e leve, e branca.

Eugénio de Andrade, O Outro Nome da Terra (1988)

2 comentários :

bettips disse...

Só hoje passo. Hei-de repassar, pelas ilhas, pelas imagens. Da pena; e contudo com algum optimismo. Abaços

Maria Lua disse...

Tão bela a imagem quanto o poema.
Obrigado pela partilha.
:-)