14.4.08

Kousa nunca vista


Cornus kousa

Conforme prometido na semana passada, aqui vão, na falta de fotos que a mostrem no seu rubro vestido outonal, as imagens possíveis desta outra Cornus no Parque Florestal de Amarante. Várias diferenças há entre a Cornus florida e a Cornus kousa. A que não salta à vista é serem originárias de continentes diversos: a primeira, como indica o epíteto específico, da costa leste dos EUA; a segunda da China e do Japão, sendo aliás kousa o seu nome japonês. As duas são de folhagem caduca, mas - como já vimos - a C. florida, mais pressurosa em exibir-se, faz brotar as flores antes das folhas. Em ambas as espécies as verdadeiras flores são verdes e discretas, formando pequenos bouquets rodeados por quatro brácteas semelhantes a pétalas; mas as brácteas da C. kousa são lanceoladas (foto em cima), ao passo que as da C. florida têm reentrâncias nas pontas, como se alguém as tivesse mordido (foto aqui). Finalmente, as folhas da C. kousa têm margens serradas e as da C. florida têm margens lisas. Tanto uma como outra espécie deram origem a numerosos cultivares ornamentais, quase todos eles inéditos em jardins portugueses. De facto, o Parque Florestal de Amarante é o único local do país onde alguma vez vimos exemplares de qualquer destas duas espécies de Cornus.

2 comentários :

Ana disse...

Em deambulações pela net à procura do nome das árvores que rodeiam a refinaria, aquelas com folhagem acinzentada, dei com este sítio. É só para informar que em Ponte de Lima há destas árvores; tenho uma que me foi oferecida por um vizinho que tem muitas. São realmente decorativas e variam muito de aspecto ao longo do ano. O vermelho da folhagem de Outono é muito bonito.
Ana

Teresa Costa disse...

Em Vieira do Minho há. Tenho duas no nosso jardim e acho que as há também no Parque Florestal da vila, pois sempre ouvi dizer à minha mãe que foi o engenheiro do parque que lhas deu. São lindíssimas!