23.5.11

Carvalhinha rosada


Teucrium chamaedrys L.

A natureza não foi avara connosco quando se fizeram as partilhas do género Teucrium. Das trezentas espécies registadas em todo o mundo, a parte de leão coube à região mediterrânica; umas sessenta espécies escolheram viver na Península Ibérica, e dessas há quinze que são espontâneas em Portugal. A pequenez do nosso território não faria augurar tamanha benesse, e quinze é um número jeitoso. Mais do que isso e as espécies atropelam-se umas às outras, sem delimitações claras tanto morfológicas como geográficas. Está perfeitamente ao nosso alcance conhecer quinze espécies e tratá-las pelo nome próprio; sessenta é já um exagero e uma dor de cabeça. Coitados dos espanhóis.

Comecemos por fazer a revisão da matéria dada. O primeiro Teucrium que enfeitou estas páginas foi o mato-branco (T. fruticans). Trata-se de um arbusto ornamental muito popular nos separadores das auto-estradas, e que também é espontâneo no centro e sul do país. Depois, a urgência em escoar as fotos do arquivo levou-nos a juntar neste postal duas plantas de ecologia bem diversa: o T. scorodonia frequenta os bosques caducifólios do norte do país, enquanto que o T. polium prefere as encostas calcárias e soalheiras do centro-oeste.

Com o Teucrium chamaedrys regressamos ao calcário e à Serra dos Candeeiros, e também às plantas com potencial para uso em jardins. A nosso ver, pela folhagem brilhante e penugenta, e pelas flores rosadas a constrastar com o tom escuro dos cálices, este é o mais bonito dos quatro. Tão vistoso é que até o povo parece ter reparado nele: carvalhinha ou erva-carvalha são os nomes vernáculos pelos quais é conhecido, por certo motivados (como aliás o epíteto chamaedrys) pela semelhança das suas folhas com as dos carvalhos.

Semelhança que não se estende aos outros aspectos da planta, a começar pela envergadura. A carvalhinha é uma planta rasteira, com tufos de hastes que não ultrapassam os 30 cm de comprimento. As flores, que começam a aparecer por esta altura e se devem aguentar pelo menos até Julho, medem cerca de 1,5 cm.

O Teucrium chamaedrys ocorre em quase toda a Europa, e ainda no suoeste da Ásia e no norte de África. Em Portugal parece confinado às Beiras e à Estremadura.

Sem comentários :