8.12.04

Os nomes das árvores - Ginkgo

(Família: Ginkgoaceae)
Nome científico: Ginkgo biloba
Nomes vulgares: Ginkgo, gincgo, nogueira-do-Japão
....
Originária da China, esta árvore considerada um "fóssil vivo"- termo utilizado por Darwin para designar sobreviventes de um longínquo passado- aparece mencionada pela primeira vez na Materia Medica chinesa, Ri Yong Ben Cao (ca. 1350) e é posteriormente descrita em obras tanto chinesas (por ex. Ben Cao Gang Mu de Li Shi-Zhen, 1596), como japonesas.
Os europeus descobriram-na apenas no início do séc. XVII graças ao alemão Engelbert Kaempfer, botânico e médico que permaneceu no Japão (entre 1690 e 1691, ao serviço da Companhia Holandesa das Índias Orientais) e a quem se deve não só a primeira descrição científica ocidental da árvore, como provavelmente a sua introdução na Europa, mais particularmente na Holanda, onde o primeiro exemplar semeado dizem ainda se poder hoje admirar no jardim botânico de Utrech.
Também a Kaempfer devemos o nome corrente, pois ginkgo é a sua transcrição (1711) de "ginkyo", uma das denominações japonesas da árvore- mais concretamente o termo usado na literatura da época- cujos caracteres, idênticos aos que em chinês a designam, significam "alperce (ou amêndoa) de prata".


Fotos: mdlr
Em 1771, Lineu adopta a palavra para o género e utiliza o termo biloba (com dois lobos) para designar a espécie, devido à característica forma indentada das folhas. Note-se no entanto que nem todas as folhas têm esta particularidade (glosada por Goethe no seu conhecido poema).
...
No século XIX, a ginkgo também foi conhecida por Salisburia adiantifolia, designação pro­posta em 1797 por Sir James E. Smith, fundador da Linnean Society de Londres -que achava o nome de origem oriental "uncouth and barbarous" (cf. Hui-Lin Li)- em homenagem ao seu amigo Richard A. Salisbury, botânico como ele, para além de horticultor.
Também neste caso, o desig­nativo da espécie exprime as características morfológicas da folhagem, semelhante às avencas, do género Adiantum, plantas conhecidas em língua inglesa per "mai­den hair fern", sendo um dos nomes comuns da ginkgo, em inglês, justamente "maiden hair tree".
..
Inicialmente classificada como conífera e incluída na família das Taxaceae, a ginkgo é -desde as descobertas do botânico japonês Hirase em 1898, sobre as peculiares características dos núcleos das células reprodutoras masculinas- considerada a única representante viva das Ginkgoales, ordem de que se conhecem apenas vestígios fossilizados.

São admiráveis alguns dos sítios dedicadas a esta árvore na WWW. O mais completo, Ginkgo Pages, é da autoria de Cor Kwant, uma holandesa que reuniu um conjunto fabuloso de informações, nomeadamente fotografias de ginkgos do mundo inteiro, inclusivé Portugal. (A propósito faz-se aqui um pedido: se conhecer alguma ginkgo de algum modo notável, envie essa informação para o mail de Cor Kwant).
Ver também Ginkgo-"living fossil" (1 e 2), "product of Brian Chandler's fevered imagination"

13 comentários :

Anónimo disse...

Mais um belíssimo post. :)
Só um detalhe curioso: como dizes, a denominação japonesa 'gin kyô' corresponde aos caracteres chineses originários. Porém, a designação mais corrente para ginkgo no Japão é 'ichô' (que se escreve em katakana).
DK

manueladlramos disse...

;-)lá DK, parece que o termo que o Kaempfer adoptou era o usado nos Japanese Herbals da época para designar não a árvore em si mas o fruto. Não fui bem clara e acho que depois vou reescrever essa parte. No excelente livro (do H.)de Dan Bensky (Chinese Herbal Medecine- Materia Medica, 1993),aparece o termo (pin yin) bái guo para designar a semente(mais usual nos meios médicos) mas também vem mencionada a designação yín xìng (e as folhas têm o nome de yín guo yè). Nesta obra o nome japonês mencionado é ginkyo, e refere-se creio, não à árvore mas ao fruto ou à semente (caroço). O livro de Hui-Lin Li(1 edição de 1963) tem nada menos do que 6 páginas sobre a origem do nome ginkgo e vários parágrafos sobre as diferentes pronúncias e transcrições de agora e de há três séculos atrás. Também refere o facto de não se tratar da transcrição de um termo coloquial mas de -a literary name as occurring in japanese literature at the time and especially in all herbals then in use (p.109)-; e para confirmar que Kaempfer tinha plena noção dos diferentes nomes japoneses para a árvore (e suas diferentes partes)Hui-Lin Li também transcreve as próprias palavras do K.:-Gingko, vel Gin an, vulgò Itsjò. Arbor nucifera folio Adiantino- (não ponho aspas porque aparecem outros caracteres)e comenta -This clearly shows that K. consideres that there are two ways of pronouncing the same ideographs,- etc.etc.. Isto dos nomes tem que se lhe diga ;-) Depois continuamos a conversa , tenho mesmo que ir. obrigada pelos teus comentários.

Anónimo disse...

Sim, isto dos nomes tem, de facto, muito que se lhe diga. Curiosamente, em japonês os mesmos caracteres chineses (kanji) são usados para designar a árvore e o fruto/'nut': 'gin kyô' para a árvore (que também se pode ler 'ichô', embora habitualmente se escreva em katakana) e 'gin nan' para o fruto. No Japão este último é, segundo ouvi dizer, bastante consumido. Um dos pratos mais conhecidos em que entra o 'gin nan' é o 'chawan-mushi', uma espécie de 'flan' cozido a vapor, com ovo, cogumelos 'shiitake', legumes, pedacinhos de carne e/ou peixe - e umas deliciosas bolinhas 'gin nan' lá pelo meio :) . Penso, aliás, que este prato é de origem chinesa, com adaptações e alterações nipónicas ;).
DK

manueladlramos disse...

Adorava provar esta iguaria!

a. disse...

Além de dar um chá excelente tem ainda outra peculiaridade: é capaz de absorver e reter metais pesados e tóxicos (vg dos escapes dos automóveis). Na Alemanha tinham iniciado o seu uso nos separadores das auto-estradas como forma de limpeza do ar, impedindo assim a contaminação do e sendo depois mais fácil reciclar os metais. Bom, mas a bióloga está de folga :)

manueladlramos disse...

Olá a.(?) o que é que dá um chá excelente? As folhas de Ginkgo? Já provou? ;-) dos nomes- que é o tema deste "post" - passa-se para receitas e propriedades da planta que são como se sabe inúmeras, e de uso tradicional nos países orientais. Essa propriedade de absorver metais pesados faz então a árvore muito apropriada para zonas urbanas (mas pouco aconslhável para chás...)
Quanto à pronúncia de ginkgo não há dúvida que tanto entre nós como por exemplo em língua francesa e inglesa se pronuncia mesmo g/j. Vou pedir à minha amigas DK (que fala japonês) para nos dizer como se pronuncia o g(in) em japonês; de qualquer modo este tema do nome da (no dicionário vem lá bem declarado que se trata de um s. masculino, mas eu não há meio de me convencer) ginkgo é muito controverso como se pode verificar no texto do post, nos links que apontam para mais informação (recomedo a sua leitura) e nestes comentários. Por isso é que interessante a sua informação (num comentario a post sobre a ginkgo das Virtudes) sobre esta outra outra pronúncia recomendada pelo prof.:ginkgo - guinkgo. Quais seriam as razões do Prof Rezende Pinto?

Anónimo disse...

Não sei se será esta a razão de ser da preferência do Prof. R. Pinto, mas de facto em japonês "ginkyô" lê-se 'guin-kyô', assim como "ginnan" se lê 'guin-nan'. :)
DK

manueladlramos disse...

Boa ;-)

Anónimo disse...

Em relação ao sexo é muito simples. Como é uma árvore dióica, sendo Senhor é Senhor Ginkgo; sendo Senhora é Senhora Ginkga (ou Dona Ginkga).
Onde está a dificuldade?!
Pedro Foyos

manueladlramos disse...

(Bons olhos o leiam!)
Claro, claro... a hesitação é para quando se fala em abstracto ou na generalidade e quando não se sabe se é menino ou menina.
Nós tratamos por senhora ou miss e vai tudo para o feminino -aliás assim até se adopta a prática que agora é muito in e polit. corr. em língua inglesa (subst. do he/his por she/her ;-)

Anónimo disse...

Por acaso, «descobri»(!) que, em Braga, para além da identificada na foto de Manuela Ramos no site «Gingko Pages», há mais duas Gingko (pelo menos). Acho que sei quais são em concreto, porque apanhei umas folhas curiosas há uns tempos e depois tentei ver que árvores esquisitas eram aquelas... e vim aqui parar, ao meio dos especialistas (eu só só amante).
Quanto ao tema em discussão, e à questão do sexo, parece-me inconsistente: os nomes não têm sexo, mas género - e essas duas coisas estão longe de corresponder ao mesmo.

R. Ramos (pois, o nome é pura coincidência, mas também sou da família das árvores...)

Anónimo disse...

Vi no Jardin Florêncio Terra, situado na Horta-Faial (Açôres) uma árvore que só pode ser esta Ginkgo. Alguém mais a conhece neste sitio?

Anónimo disse...

ola...tou a fazer este trabalho sobre esta planta..e estou a adorar..mas em pequenas circuntancias tem pouca coisa...se voces pudessem ajudar...muito obridada pelo seu tempo...se kiser contactar.me tem aqui o meu email: gata_maluka_93@hotmail.com...beijs