9.7.05

Árvore-do-fumo



Fotos: pva 0505 - Cotinus coggygria - Jardim Botânico do Porto

A primeira impressão é de que este arbusto está a fumar e a lançar baforadas langorosas que lhe escondem a copa. Mais de perto, as nuvens de tonalidade rósea revelam a sua identidade: são inflorescências terminais dispostas em pirâmides, com pedúnculos (hastes que suportam as flores) que são aveludados e conferem ao conjunto um aspecto plumoso.

Da família Anacardiaceae, a árvore-do-fumo é originária do Sul da Europa, China, Himalaias e América do Norte e está classificada no género Cotinus; o exemplar da foto é da espécie coggygria (algodoeiro em latim). A folhagem é caduca e verde-azulada, as folhas redondas e alternadas sem recorte no bordo, pecíolo (pé da folha que a liga ao caule) muito longo e nervuras bem marcadas. Muito usado para ornamentar jardins, o segredo do seu sucesso está justamente nas inflorescências vaporosas e na coloração das folhas, de verde brilhante no Verão a púrpura intenso no Outono antes de se desprenderem.

Há muitos exemplares de Cotinus coggygria na cidade, concedendo a muitos recantos ajardinados uma atmosfera diáfana de onde esperamos que surjam gnomos, fadas e outras pequenas maravilhas.

3 comentários :

Filipe disse...

Da família Anacardiaceae, existe uma sub família a que esta árvore pertence, sumac. Extrai-se um óleo com esse nome desta árvore e na Bulgária existe uma grande cultura destas árvores para a extração desse óleo, usado em perfumes e anti-inflamatório, entre outras coisas. Um abraço e parabens por mais uma óptima fotografia

Maria Carvalho disse...

Tem razão, a família Anacardiaceae é uma fonte de aromas e coisas boas. Depois do Cotinus, teremos de aqui deixar apontamentos pelo menos sobre os géneros Rhus (o tal sumagre, agora em flor no Porto - e que flores senhores!), Anacardium (uma das espécies dá os cajus, de onde se retira a castanha respectiva de que gosto muito), Mangifera (uma das espécies é a tropical mangueira), Pistacia (uma das espécies produz o pistacio que se usa nos sorvetes) e Schinus, de que há muitos exemplares de grande porte no Porto. Cá fica a promessa...

K.B. disse...

Cá está a bela!