25.10.05

"Aux Champs Élysées..."

.

Avenida dos Campos Elísios (Agosto 2005) com as suas múltiplas filas de árvores talhadas caracteristicamente "à la marquise" : na extremidade Este o Arco do Triunfo, e no lado oposto a "Place de La Concorde" que dá acesso ao "Jardin des Tuileries" .
.
Sempre que os arquitectos ou outros responsáveis se dignam falar da "requalificação" que estão a querer impôr na zona mais emblemática da cidade do Porto (e que, alegadamente, se anda lá a "burilar" há mais tempo do que pensávamos...), não faltam exemplos de praças e avenidas estrangeiras. Até com uma fonte inspirada em modelo parisiense nos querem presentear; assim como francês, mais concretamente como os dos Campos Elísios, pretendem que seja o "corredor de árvores" da Avenida dos Aliados, onde se projecta "subir o verde", eliminando-o do chão.
Cores e flores? Nem vê-las! Até porque (dizem eles) «"Nos Campos Elísios (Paris) não há canteirinhos", acrescentou Souto Moura, mostrando uma fotografia do coração da capital francesa.(...)»

.
Pois não! Ladeando um terço da grande avenida há um lindíssimo jardim cheio de relvados e canteiros floridos, fontes, e árvores centenárias!

"Eh bien! Ça alors !? Oh la, la..."

«Aux Champs-Elysées, aux Champs-Elysées
Au soleil, sous la pluie, à midi ou à minuit,
Il y a tout ce que vous voulez aux Champs-Elysées ...»
(Joe Dassin; paroles et musique de Pierre Delanoel)
.

5 comentários :

Teófilo M. disse...

Grande resposta. Parabéns.

DL disse...

Conheço bem Paris e posso garantir que o que lá não falta são canteirinhos, que estão espalhados por todo o lado mas muitas vezes passam despercebidos no meio da verdura.

manueladlramos disse...

Pois tem toda a razão. E até podem eventualmente passar despercebidos mas na maioria das vezes, não! A arte floral em Paris é levada a sério e não é uma tradição desprezada pelos urbanistas/paisagistas da cidade; publicámos já aqui algumas imagens: Jardins do Luxemburgo-entrada
Parque de Montsouris
Jardins do Luxemburgo ao fim da tarde.
Obrigada pelo seu comentário ;-)

António Viriato disse...

Bem respondido e bem lembrada, essa magnífica canção, de saudosa memória, cheia de ritmo e de vida, tal como nos sentimos quando por essa bela avenida passeamos. Justamente, porque ali há tudo o que queremos, tudo o que precisamos, para nos comunicar alegria, saúde, vitalidade, inspiração... Faça chuva ou faça sol, embora com sol seja melhor : Soleil, je t'aime e pour toujours..., como nos diz outra famosa canção francesa, não recordo com exactidão, se da Françoise Hardy ou da Sylvie Vartan. Hélàs, ma mauvaise mémoire...

andrecicarelli disse...

Alguém aqui sabe o nome botânico ou popular destas típicas árvores da Av.Champs Èlisée ?