16.5.06

Tílias da Lapa



Foram elas, entaladas entre uma igreja e um quartel, quem me deram as primeiras lições sobre o que é ser tília: a copa, de folhagem verde com reflexos prateados, desenhando um perfeito arco de parábola e estendendo-nos o amplo refúgio da sua sombra; os pássaros fazendo dela sala de concertos em cada fim da tarde. Idênticas lições foram mais tarde repetidas pelas tílias de outros pontos da cidade (Praça da República, Filipa de Lencastre, Ramada Alta), mas são as mestras das primeiras letras quem mais fundamente nos marcam. Por isso me dói que em 2004 uma das tílias da Lapa tenha sido abatida, e que as outras se vejam diminuídas por repetidas podas: assim desgrenhadas, de copa rala, mal as reconheço. A verdade é que já quase não há no Porto tílias intactas, e assim, por falta de material didáctico de qualidade, ficam os novos estudantes de tílias privados da sua lição introdutória. Mas para a lição seguinte, que aliás está prestes a começar, e diz respeito ao perfume das suas flores - estas tílias, apesar dos maus tratos que sofreram, ainda são professoras bem capazes.

2 comentários :

aldina disse...

Parabéns e muitíssimo obrigada pela beleza e empenho desta magnífica iniciativa que é a ideia e o conteúdo deste Blog!

Tenho aprendido, naturalmente, coisas sobre este ser vivo ancestral - A Árvore - que me fascina tanto apesar do pouco que sei, mas com este blog tenho vindo a diminuir a minha ignorãncia, logo, a aprofundar a qualidade do meu gosto!

De todo o coração, muito obrigada e até sempre!

Aldina

Anónimo disse...

Podem-se encontrar Tílias enormes na escola da rua do revilão em Ramalde. Lindas por sinal.

MB