14.6.06

Visita ao Jardim Condessa de Lobão



Sábado, 1 de Julho, às 10h00
Organização
Campo Aberto
Participação limitada
Inscrições pelo endereço jardins@campoaberto.pt

Adenda às 21h00 de 15/VI/06: as inscrições já estão encerradas!

O Centro Condessa de Lobão, situado no gaveto da avenida da Boavista com a rua dos Belos Ares, é um organismo do Instituto de Segurança Social dedicado ao apoio e formação de deficientes. A casa, o jardim e estruturas adjacentes (coreto, moinhos de vento e estufa) datam do primeiro quartel do século XX e são moldadas por uma arquitectura de feição arte nova. Árvores de grande porte (plátanos, faias, cedros, carvalhos) sombreiam o lago e o coreto, mobilado com mesa e cadeiras de ferro forjado; nos canteiros que bordejam os caminhos distribuem-se magnólias, hibiscos, camélias, jacarandás, palmeiras e uma profusão de plantas ornamentais; igualmente de assinalar são o roseiral e o pomar. Todo o conjunto se encontra classificado pelo IPPAR como imóvel de interesse público desde 1982.

3 comentários :

LFV disse...

Ao tempo que a entrada do edifício me seduz e me chama a descobrir alguma coisa para lá dos portões. Como em muitas outras coisas, não tenho sorte na vida. Quando tenho a possibilidade de o fazer, as inscrições já estão encerradas. É por isso que, em minha opinião, essas visitas deveriam ser mais frequentes. Para dar a conhecer porque, creio eu, dar a conhecer é respeitar e preservar o que hoje, em termos culturais, património colectivo!

bettips disse...

Lá vou eu "postar" um prótesto! Passei aí anos a fio. Via todos os anos as flores lilás da árvore na esquina, até a desenhei e pintei para o Miguel pequenino (tem agora 28 anos!). Juro.
Um dia, pedi para entrar no jardim e deixaram-me mas só à volta da casa. Fiquei feliz e agradeci mentalmente à condessa ... e até começaram a tratar os jardins! Hoje, que já somos todos "grandes" e eu gostava de fazer essa peregrinação com os meus amigos que "sabem" coisas lindas, dizem-me que já não há bilhetes! Terão de repetir, meus caros! Estou como diz lfv, "não tenho sorte nenhuma"...

Anónimo disse...

Eu trabalhei nesse edifício. Conheci todos os cantos á casa. Também passei muitas horas do almoço sentada nas cadeiras do coreto almoçando com colegas. Nos dias mais nostálgicos gostava de lá estar só, mas não tão só assim, há muitos peixes no lago e um cágado que se habituou rapidamente á nossa presença. Adorei!