18.10.04

Folhinha

Murchou a flor aberta ao sol do tempo.
Assim tinha de ser, neste renovo
Quotidiano,
Outro ano,
Outra flor,
Outro perfume.
O gume
Do cansaço
Vai ceifando,
E o braço
Doutro sonho
Semeando.

É essa a eternidade:
A permanente rendição da vida.
Outro ano,
Outra flor,
Outro perfume,
E o lume
De não sei que ilusão a arder no cume
De não sei que expressão nunca atingida.

Miguel Torga, Orfeu Rebelde (1958)


Foto: pva 0410

2 comentários :

Anónimo disse...

Nunca tinha visto uma sasanqua branca dobrada!...
Vocês conhecem tantos textos bons!...

Paulo Araújo disse...

Esta "sazanka" está no Parque de S. Roque, no Porto, junto ao gradeamento que dá para a Rua de S. Roque da Lameira. Aliás este parque tem uma abundância de "sazankas" verdadeiramente invulgar. Corra lá se as quiser ver ainda este ano, pois a floração está nas últimas.