9.1.06

As pompónias são campeãs




Já aqui foi aqui sugerida uma explicação para a corpulência de algumas japoneiras no cemitério do Prado do Repouso. Embora plausível, essa explicação deixa de ser suficiente quando notamos que as campeãs em tamanho, tanto no cemitério como noutros locais que nunca serviram para essa função, são sempre, entre nós, japoneiras da mesma variedade. Na foto, vemos duas das campeãs: a primeira no Prado do Repouso, a segunda na Quinta da Aveleda. Sem uma medição rigorosa, é difícil estabelecer qual das duas é maior: a do Prado aparenta ser mais alta, mas a da Aveleda é mais entroncada e de copa mais ampla.

Esta variedade destaca-se pelas flores de cor variável, a maior parte em vários tons de rosa, mas também as tendo imaculadamente brancas. Por isso não temos a certeza de qual o seu nome: pode até tratar-se da pomponia alba, pois não é invulgar as japoneiras perderem, com a idade avançada, algumas das suas características identificadoras.



Seja como for, a versão bicolor da pompónia, além de ser entre nós das japoneiras mais antigas e de crescimento mais vigoroso, é também das mais comuns: tanto no Prado do Repouso como na Aveleda há alamedas formadas quase exclusivamente por elas; já as fotografámos nos jardins do Palácio de Cristal; e, também no Porto, quem desce a rua do Campo Alegre pode vê-las - grandes, pontilhadas de branco e rosa - atrás do muro do Colégio de Nossa Senhora de Lourdes, na esquina com a rua do Bom Sucesso.

Fotos: pva

1 comentário :

Anónimo disse...

Ando de cabeça no ar, aliás como sempre, a ver "coisas". E as árvores mais lindas do Inverno são as nossas camélias, onde quer que estejam. De certo conheces um cantinho na Casa Tait onde há um sítio com várias espécias e todas uma beleza. Se fores lá, manda fotos. Abraços de quem sempre viu camélias (desde pequenina)
EP