14.2.06

Amarela por dentro e por fora


Foto: pva 0602

Nesta altura do ano os arbustos da espécie Mahonia japonica parecem ter sido toureados com bandarilhas amarelas. Afinal são as inflorescências erectas e densas, com numerosas flores amarelas muito perfumadas, arredondadas como cálices, que estão na origem deste pesadelo momentâneo. Certo é que as abelhas, de vista mais fina, não se deixam equivocar e até participam na formação dos frutos comestíveis, sumarentos e azuis. Arbusto de folha perene (composta, pinada com 3 a 41 folíolos, coriácea e de margens dentadas e espinhosas como a do azevinho), é resistente ao frio e por isso muito usado como protecção no bordo dos jardins.

O género Mahonia, da família Berberidaceae, reúne cerca de 100 espécies nativas dos Himalaias, Japão, Sumatra, América do Norte e América Central. Deve o nome ao botânico irlandês, depois norte-americano, Bernard McMahon (1775-1816), autor do primeiro catálogo americano de sementes e cujo guião de jardinagem, The American Gardner´s Calendar, de 1806, com 648 páginas e inspirado em obras inglesas de teor semelhante - dando mês a mês instruções precisas de horticultura e paisagismo - teve tal popularidade que conheceu onze edições até 1857.

A madeira da mahonia é também amarela.

3 comentários :

Flor disse...

Tanta hora perdida em blogs inúteis!... ainda não percebi como vos descobri, mas valeu! Vou "devorar" vossos ensinamentos!!!
Muito obrigada!

Anónimo disse...

Mas ... qual é o seu nome vulgar? Maónia? (não deixa de ser bonito;-)
Podiam , se souberem, acrescentar ao post...
S. (de Sementinha ;-)

Maria Carvalho disse...

O livro Portugal Botânico de A a Z não regista qualquer designação comum para este arbusto; o dicionário Houaiss chama-lhe mahonia, o termo que usei na última linha do texto.