1.5.06

Falso-jasmim



Muitos arbustos anónimos de folha caduca dão-se nesta altura finalmente a conhecer: alindam-se com folhas, flores e aromas; e, uma vez atraída a nossa atenção, cumpre-nos procurar-lhes o rasto nos compêndios botânicos em leituras de fim-de-tarde.

O arbusto semi-lenhoso e touceirado da foto é da espécie Philadelphus coronarius, incluída na família Hydrangeaceae. As folhas são tomentosas na face superior, com veios salientes desde a base e de margens levemente serradas; as flores são brancas, de 4 pétalas, com numerosos estames e um perfume insinuante. Sendo nativa da Europa, Ásia Menor e Cáucaso, adapta-se bem ao frio e à humidade das florestas europeias. No Parque de Serralves, na bordadura do bosque dos eucaliptos e no terraço lateral, vegetam exemplares magníficos de Philadelphus; e também vimos um de grande porte no jardim do Alão.

Certos híbridos de P. coronarius, P. microphyllus (do Texas) e P. mexicanus (do México), criados em França no século XIX por Victor Lemoine, exibem folhas douradas e flores grandes com base manchada de rosa.


Philadelphus coronarius em Serralves

1 comentário :

Manuela D.LRamos disse...

Este ano encontro-os por todo o lado. Em frente onde vivo há um num canteiro; à entrada da rua por onde passo todos os dias está lá agora um a espreitar entre as grades; ontem um exemplar enorme e lindissimo perfumava o ar no jardim onde jantei. Que bonitos e que aroma!
O Brosse conta coisas engraçadas sobre esta planta: nomeadamente que os caules davam antigamente para fazer seringas. Razão de ser do seu antigo nome em Latim -que se mantem no nome comum da planta "seringat-des-jardins" em francês, apesar de Lineu ter transferido a designação de "seringats" para os lilases (daí talvez o falso-lilás).