26.2.07

Leucojum aestivum



Se às vezes digo que as flores sorriem
E se eu disser que os rios cantam,
Não é porque eu julgue que há sorrisos nas flores
E cantos no correr dos rios...

É porque assim faço mais sentir aos homens falsos
A existência verdadeiramente real das flores e dos rios.


Alberto Caeiro

1 comentário :

bettips disse...

Como ficam, hoje, bem:
o poema, as flores Arte Nova.
Abç