25.1.11

Mar ausente



Urginea maritima (L.) Baker

Springtime, Summer and Fall: days to behold a world / Antecedent to our knowing, where flowers think / Theirs concretely in scent-colors/ (...) / Winter, though, has the right tense for a look indoors / At ourselves and with First Names to sit face to face, / Time for reading of thoughts, time for trying out / Of new meters and new recipes, proper time / To reflect on events noted in warmer months.
W.H. Auden, In Due Season

O jacinto-do-mar, como muitas orquídeas silvestres, tem um calendário peculiar em que parece desacompanhar-nos. Beliscado pelo Outono, começa a florir no fim do Verão, quando os polinizadores já rareiam. Por isso adoptou uma boa estratégia: fabrica hastes florais altas (50-150 cm), bem visíveis porque nuas de folhas, com as inflorescências no topo e as flores, estreladas, melíferas e perfumadas, dispostas em anéis que amadurecem da base para o cimo. Vivendo perto do mar (mas também longe dele), resiste bem à estiagem, tolera os salpicos do rebentar das ondas, e deixa que o vento lhe dissemine graciosamente as sementes acomodadas em cápsulas piriformes de cor ocre-laranja.

A folhagem, verde-esmeralda, coriácea e glabra, é a parte que a planta expõe no Inverno. Em lugares de solo bem drenado e calcário, as rosetas de folhas lanceoladas, ligeiramente onduladas, por vezes carenadas na ponta, são agora tão numerosas que nem lamentamos quando vemos um bicho de orelhas grandes e cauda pequena (deve ser esse) a trincá-las à pressa. Naturalmente, o esforço para confundir as estações, como aquele em que esta planta vivaz se empenha, tem de ter algum respaldo. A cebola-albarrã depende de um nabinho, que pode chegar aos cinco quilos, e das raízes carnudas e tuberosas que a alimentam nos meses em que não tem folhas – e onde o tal coelho não toca, pois talvez pressinta que ali há o princípio activo, usado comercialmente, de alguns raticidas.

Já pertenceu ao género Scilla: era a Scilla maritima L., a que floria depois da Scilla autumnalis L. e antes da Scilla monophyllos Link. A semelhança na morfologia das flores e folhas justificava plenamente este parentesco, mas a ciência não se contenta com aparências. Está hoje entregue ao género Urginea, essencialmente africano, com algumas (poucas) espécies na região mediterrânica e na Ásia Menor, cuja designação evoca uma tribo da Argélia, os Beni Urgin, da região onde a planta foi identificada.

2 comentários :

Samuel Alcobia disse...

e é muito parecido com o asphodelus, qualquer dia...

Lucia disse...

que bela montagem e que belas fotos... cada vez mais elaborada a informacao e apresentação!
saudacoes !