2.3.16

Arroio com flores



Alisma lanceolatum With.

Efemerófito: é este, segundo a Flora Ibérica, o possível estatuto da Alisma gramineum na Península Ibérica, uma vez que, depois de recolhida para herbário em arrozais de Coruche, no Ribatejo, e na serra de Vicor, em Zaragoza, ninguém mais a avistou nestes locais. Sendo planta vivaz, decerto terá sido a má conservação dos habitats com muita humidade, como ela exige, que a terá erradicado da flora peninsular. Mas este facto, em si preocupante, tem a vantagem de reduzir a duas espécies (Alisma plantago-aquatica ou Alisma lanceolatum) o problema de identificação da planta das fotos.

Recorremos primeiro às imagens da Flora-On, mas julgamos que a vitrine da Alisma mostra a A. plantago-aquatica. Consultámos então a chave da Nova Flora de Portugal (vol. III, fasc. 1), de Amaral Franco e Rocha Afonso: para além das diferenças no genótipo, de verificação difícil mas segura, a distinção entre as duas espécies faz-se através da morfologia das folhas e das faces dos aquénios. Como não vimos frutos, prestámos atenção apenas às flores e às folhas. Em ambas as espécies, as flores de três pétalas são pequeninas, hermafroditas e dispostas no cimo de escapos; os seis estames rodeiam uma coroa central de muitos carpelos unidos. Contudo, na A. plantago-aquatica, a mais frequente por cá em margens de rios e lagoas, as flores têm em geral pétalas brancas; e, mais importante, as folhas são ovadas (como as do Plantago major), subcordadas ou truncadas na base, e com uma razão comprimento/largura menor do que três. Em contraste, na A. lanceolatum, as flores são em geral lilacíneas e as folhas (como informa o epíteto específico) são lanceoladas, acunheadas na base e com um quociente comprimento/largura maior do que três. Arriscando, concluímos face a estes dados que a planta das fotos, fotografada num regato em Matosinhos, é da espécie A. lanceolatum. Fica a sugestão, a quem possa, de verificar os dados genéticos para não restarem dúvidas.

Não há registo de nomes vernáculos em português para a A. lanceolatum, embora esta espécie ocorra em várias províncias do país, de norte a sul. Por gentileza, a A. plantago-aquatica bem lhe poderia emprestar algum dos vários que tem, como alface-dos-arrozais, colhereira, pão-de-rã, orelha de mula ou erva-couveira.

Sem comentários :