20.8.04

Cipreste-dos-pântanos e os novos primitivos

1) O Taxodium distichum é uma conífera invulgar, originária do Sudeste dos EUA: tem folhagem caduca (a sua folha lembra a do teixo, em latim Taxus, e daí o seu nome científico) e pode vegetar em terrenos alagados, lançando então as suas raízes umas protuberâncias (chamadas pneumatóforos) que, emergindo da água, permitem à árvore respirar; o seu nome comum é cipreste-dos-pântanos. Embora doutra espécie (T. mucronatum), pertence ao género Taxodium a mais larga árvore conhecida: está em Santa Maria del Tule, no México, e o seu tronco mede 36 metros de perímetro.

2) As coníferas têm orgãos reprodutores masculinos e femininos separados, às vezes até em plantas distintas: ao contrário das árvores ditas folhosas, não dão flor; são, na ordem evolutiva, plantas primitivas.

3) Os novos primitivos são os arquitectos que não gostam de flores: no Porto, conseguiram já bani-las dos jardins da Cordoaria, Avenida de Montevideu e Rotunda da Boavista; prometem continuar até que a cidade se esqueça de que existem flores. Agora querem erradicá-las (verbo favorito do actual executivo camarário) da Avenida dos Aliados, como declarou ontem um deles ao Comércio do Porto: «[a avenida] deverá ser limpa e trabalhada (...), sem canteiros e canteirinhos».

2 comentários :

Anónimo disse...

Credo! Pobre Invicta cidade, a retirarem o que tanto a embeleza. Esperemos que haja bom senso. Abraços Amita//brancoepreto.blogs.sapo.pt

Anónimo disse...

Admiro muito os arquitectos Siza Vieira e Souto Moura, que apelida de "novos primitivos". Não entendo no entanto esta questão das flores e não posso deixar de concordar com este post, nomeadamente no que diz respeito ao jardim da Rotunda da Boavista que observo todos os dias. É incompreensível a intervenção ali realizada e para mim o que lá está é um triste remedeio -- ou seja, ingenuamente acho que não está pronto. -- jrf