30.5.06

Invasão de traças

«Quase ninguém ficou indiferente à invasão de traças que este fim-de-semana aconteceu na região do Porto. Tratou-se, entre outras, da espécie Autographa gamma, um lepidóptero da família Noctuidae. O batimento de asas é tão rápido que torna impossível ver o bonito desenho que as asas anteriores apresentam: uma ornamentação prateada em forma de gama sobre fundo em vários tons de castanho pode ser uma explicação para o nome científico dado a esta espécie identificada por Linneu em 1758 (na altura recebeu o nome Phalaena gamma).

A rápida subida da temperatura destes dias poderá ser a causa da concentração em poucos dias da emergência destes noctuídeos migrantes. Nos próximos dias tudo voltará à normalidade e a vida destes indivíduos acabará, mas não sem antes terem deixado milhares de ovos cuidadosamente colocados nas páginas inferiores de folhas de diferentes espécies de plantas. Alguns dias depois haverá lagartas a alimentarem-se vorazmente das folhas de árvores como bétulas ou salgueiros, plantas herbáceas cultivadas como os cereais trigo, aveia ou cevada, e ainda em muitas plantas espontâneas da flora portuguesa como as urtigas, cardos ou trevos.

E para quem pensava que estas traças iam fazer buracos nas camisolas de lã e cobertores, pode ficar descansado. As traças da roupa são também borboletas que, tal como estas, tendem a voar à noite mas tratam-se de espécies dos géneros Tinea e Tineola da família Tineidae. São mais pequenas (9 a 16mm de envergadura contra 45mm da Autographa gamma) e geralmente preferem ficar em casa do que voar pelas ruas à volta de candeeiros e árvores.

Quanto a esta traça Autographa gamma, para o ano, por esta altura, quando a temperatura subir, teremos outra invasão nas nossas ruas, casas e árvores, para surpresa de muitos e gáudio de morcegos e aves insectívoras. Afinal, mesmo na cidade, as folhas das árvores também são importantes para criar biodiversidade.

Sites propostos:
http://ukmoths.org.uk/show.php?bf=2441
http://ftp.funet.fi/pub/sci/bio/life/intro.html
http://www.inra.fr/Internet/Produits/HYPPZ/RAVAGEUR/3autgam.htm
http://www.leps.it/SpeciesPages/AutogGamma.htm »
Texto de Ana Aguiar (Eng. Agrícola)

Foto de manueladlramos: "A minha palhinha é melhor do que a tua..."
Borboleta alimentando-se do néctar da flor de goivo (Cheiranthus cheiri)

9 comentários :

Manuel Anastácio disse...

Por acaso entrou-me hoje uma para dentro do carro, em Guimarães. E as bermas dos caminhos pululam delas...

Manuela D.L.Ramos disse...

Finalmente descobri quem são e de onde vêm as meninas lagartas que costumam andar pela minha varanda todos os anos!
É uma área diminuta caso contrário e se se tornasse mesmo uma praga ... «Porquê continuar a aplicar pesticidas tóxicos se há alternativas eficazes com intervalo de segurança de zero dias e nocividade nula para os auxiliares ?»

nikonman disse...

Está explicada a invasão de borboletas nas escadas do meu prédio (Beja). Não percebi se vinham do Norte, pois a pronúncia não era muito clara. :-)
Obrigado pela informação!

bettips disse...

Ainda bem que aqui encontramos a diversidade, de conhecimento e notícia! Ontem falávamos (eu e Ana) desta invasão súbita. Elas são lindas, muitas ... mas cumprem o seu ciclo natural, aqui na cidade. Ficamos todos mais descansados e não precisamos de ir ao telejornal ...!
Abç

RPM disse...

por aqui ainda não apanhei nenhuma...

contudo, a fotografia está muito bem conseguida, independentemente de serem menos amigas das flores....

Abraço

RPM

Ana Aguiar disse...

Cara Manuela,

a fotografia é linda e completamente a propósito. A Autographa gamma em adulto, tal como vimos estes dias, e alimentamdo-se numa flor, como vem a propósito para este blog. Parabéns.

Anónimo disse...

Sábado e Domingo à noite, em Espinho, havia muitas destas borboletas em rodopio à volta dos candeeiros ao longo do passeio da beira mar. Octávio Lima (ondas3.blogs.sapo.pt)

Eduardo disse...

Coimbra já não está cheia delas. Mas esteve.

Storm disse...

Também já estiveram cá umas na varanda, na piscina, na rua e até nas salas de aulas, em Lisboa. Ainda bem que me esclareceram. Bem hajam.