10.5.06

Sobreiros no Porto



Folhas novas de sobreiro; sobreiros em Fonte de Moura

"O Criador deve ter-se divertido muito a fazer a criação"
Foi a minha avó que me ensinou a reparar na beleza do pôr-do-sol (momento que ela raramente perdia), na força do mar, na melodia do canto do rouxinol, na frescura de uma sombra num dia de verão. Mais tarde a minha mãe mostrou-me todas as árvores bonitas da cidade do Porto (não posso esquecer o Negrilho da marginal, a Tília da Praça da República e o Jacarandá do Viriato); o meu pai dizia
"repara na vegetação: a árvore pode estar mal colocada, não será provavelmente a melhor espécie para aquele jardim, mas o importante é que alguém plantou e tratou daquela árvore e este gosto pelas árvores é o primeiro passo, depois virá o saber escolher a espécie certa para cada local."

Esta primavera ao ver mais uma vez os sobreiros desta cidade em toda a sua diversidade e beleza pensei "o Criador deve ter-se divertido muito".

No Porto os sobreiros "mudam" a folha na primavera: mas não mudam todas as folhas como fazem as verdadeiras árvores marcescentes que em cada primavera, pouco antes de surgir a nova rebentação, deixam cair todas as folhas secas. Os sobreiros, aqui no Porto, deixam cair só uma parte das folhas que durante um ano inteiro trabalharam fotossintetizando para que a árvore vivesse. E essas folhas caem quando uma nova camada de folhas surge. Por isso todos os anos entre Abril e Maio podemos ver, um após outro, cada sobreiro deixar durante escassas semanas a sua característica cor verde escuro para ficar castanho/dourado e depois verde claro como se de uma caducifólia se tratasse.

O criador deve ter-se divertido muito?

Texto e fotos de Ana Aguiar (Eng. Agrícola)

7 comentários :

Ver disse...

É muito importante que todos os pais se lembrem de mostrar as árvores e a beleza da natureza aos filhos, porque só assim eles vão poder passar essa mensagem aos seus próprios filhos.É que a natureza está cada vez mais longe de nós.

inquieta disse...

Com certeza Ele divertiu-se, cara Ana,e nos deixou essa maravilhosa lição de renovação.
bj

Anónimo disse...

Não é só no Porto que caem as folhas do sobreiro: creio que por todo o lado as folhas caem por alturas da floração, apesar da árvore se considerar de folha persistente. Talvez porque se vão as folhas e aparecem as inflorescências e depois logo novas folhas, num processo que não é completamente síncrono em toda a copa, não dê para se notar que em dada altura a árvore está praticamente sem folhas.
manuela.

Ana Aguiar disse...

Cara Manuela, concordo consigo. Não é só no Porto que caem as folhas do sobreiro.
A riqueza e a diversidade da Natureza vai muito além do que a minha limitada mente consegue apreender, organizar e transmitir. Na última terça-feira, a caminho do Douro passei por dezenas de sobreiros plantados à beira da estrada: a luz do sol fazia realçar o castanho/dourado das folhas que, ralas, deixavam passar a luz coada; nalguns pontos da estrada era possível ver folhas caídas. Foi lindo ver os sobreiros a mudar a folha!
Para compreender e para transmitir preciso de organizar e simplificar e o problema é que a Natureza não se ajusta à minha organização e a simplificação retira riqueza. Afinal quando é que o sobreiro muda a folha? Será talvez esse processo ?não completamente síncrono? que refere. E há ainda a riqueza da diversidade genética destas árvores - provenientes de semente - que faz com que cada árvore seja um caso diferente: vejam-se as 3 que estão no mesmo jardim em frente à escola primária da Fonte da Moura em Aldoar e que mudam a folha em semanas diferentes.
Não é só no Porto que as folhas do sobreiro caiem mas aqui elas caiem devagar, e entretanto a árvore tem folhas novas, muitas e grandes. Obrigada por este espaço de conversa.
Ana Aguiar

Manuela D.L.Ramos disse...

Eu já vivi ao lado, ladinho de um sobreiral (duas dezenas deles). As folhas secas ficavam na árvore e iam caindo- como é proprio das espécies ditas marcescentes
- mas nunca vi os sobreiros "praticamente sem folhas".
(Já agora, eu não sou a manuela que comentou anteriormente ;-)
E nós é que agradecemos a tod@s por aqui escreverem.

Anónimo disse...

acho que estão a confundir sobreiros,com carvalhos cerquinhos,completamente parecidos mas só estes mudam a folha todos os anos

Paulo Araújo disse...

O que as fotos mostram é um sobreiro e é mesmo de sobreitos que os comentadores estão a falar. O carvalho-cerquinho, que aliás não existe no Porto nem nos arredores, não é assim tão "completamente parecido" com o sobreiro, distinguindo-se muito bem dele até pelas folhas (já para não falar, obviamente, da textura do tronco).