3.11.06

Outono na reserva urbana


Porto

1) O campo começa onde a cidade acaba? Entre duas portagens de auto-estrada, é o campo que se desenrola para nos castigar a vista? Sou então tentado a concluir que o Outono português é fenómeno puramente urbano, e a dar-me por muito feliz com as folhas secas que, cumprindo o calendário, rodopiam nos passeios da minha cidade. É que nesse campo postiço de eucaliptos, acácias e pinheiros, com umas oliveiras lançadas aqui e ali para disfarçar, nenhuma árvore reconhece a autoridade cromática do Outono: o verde imutável alterna com o cinza do arvoredo queimado.


Coimbra

2) Enquanto não se vulgariza o tele-transporte, o viajante em Portugal não se livra de ver a paisagem; mas, quando o destino é especial, o suplício de testemunhar o nosso escalavrado país logo se esquece no termo da viagem. O Jardim Botânico de Coimbra, explicado pelo Professor Jorge Paiva numa luminosa tarde de Outono, é o melhor lugar do mundo, onde as plantas e as histórias que elas evocam nos falam dos quatro cantos da Terra.

4 comentários :

Francisco Rocha Antunes disse...

só para dizer que gostei tanto da foto da alameda das tílias que a copiei :-)

caliope disse...

vale a pena vir aqui ler textos assim e sim, é bom viajar de olhos abertos nas "road trips" da nossa vida

blue kite disse...

Também estive no passeio pelo Botânico de Coimbra e foi muito agradável...

JB disse...

Há já algum tempo que ando para fazer este comentário; é hoje, é hoje. Parabéns -- também -- pela qualidade do Português que aqui se escreve.

Alguém tinha que dizer isto, e mais vale que seja eu (desculpem a vírgula antes da copulativa). ;o)

Bandeira