14.8.07

Duas eufórbias


Euphorbia neriifolia

Poucos serão os géneros botânicos com tão grande variabilidade morfológica como o género Euphorbia: há eufórbias que são pequenas herbáceas (algumas até espontâneas no nosso país), outras que formam arbustos espinhentos, outras que atingem porte arbóreo, e outras ainda, atarracadas ou esguias, que facilmente se confundem com cactos. Distribuem-se por climas tropicais, sub-tropicais e temperados de todos os continentes. O que há de comum a todas elas é a seiva leitosa e irritante que segregam (e torna dolorosos os arranhões por elas provocados) e a estrutura peculiar das flores.

A primeira das eufórbias de hoje é a E. neriifolia, fotografada no Jardim Botânico do Porto: trata-se de um arbusto suculento, ramificado, de grossas pernadas verticais, originário da Índia e da Malásia; o seu nome comum em inglês (hedge euphorbia) informa que ele é usado para formar sebes; e o epíteto neriifolia refere-se à suposta semelhança das suas folhas com as do Nerium (loendro).

A segunda Euphorbia, mais humilde, pertence à flora portuguesa e é uma presença comum nas nossas dunas; o exemplar da foto é da Aguda. Trata-se da E. paralias, que em vernáculo recebeu o curioso nome de morganheira-da-praia. Alguém sabe explicar porquê?


Euphorbia paralias

Sem comentários :