12.12.11

Salvemos a canforeira

A envolvente da Faculdade de Arquitectura do Porto, entre a rua do Gólgota e a via Panorâmica, é um caos de automóveis estacionados onde calha e como podem. A única preocupação visível das autoridades académicas não foi a de reprimir ou ordenar o estacionamento, mas sim torná-lo mais cómodo para alguns privilegiados. Foi assim que uma árvore mais-que-centenária, uma canforeira (Cinnamomum camphora), se viu convertida em adereço de parque de estacionamento, um trambolho que recusa arredar-se para dar espaço a mais carros. Isto não é bom para a saúde de uma árvore que, em Dezembro de 2004, só não foi classificada de interesse público pela Autoridade Florestal Nacional porque se desconhece quem seja o seu proprietário.

João Pedro da Costa, um amigo das árvores, lançou uma campanha para salvar a canforeira da rua do Gólgota. O que ele pede é fácil de conceder: não que o estacionamento seja proibido, mas que se crie um perímetro de protecção em volta da árvore. Eis uma oportunidade para a escola que forma os nossos arquitectos mostrar que gosta de árvores. Mais informações nesta página do Facebook.

1 comentário :

Isabel MC Ribeiro disse...

Hoje, eu e uma colega ficámos a saber que esta canforeira localizada no parque de estacionamento em frente da Faculdade de Arquitectura da UP, faz parte integrante dos terrenos desta faculdade e, portanto, em última instância, da Universidade do Porto, que será o seu verdadeiro proprietário.
Se para passar a ser classificada de interesse público pela Autoridade Florestal Nacional, em 2004, o único motivo foi não se saber quem era o verdadeiro proprietário, agora já não existe essa dúvida, portanto, não existe motivo para que não a indiciemos como tal à AFN.

Isabel Ribeiro