10.6.08

Orquídeas da Serra dos Candeeiros (2)

Depois da recolha de informações na acolhedora Ecoteca de Porto de Mós, rumámos à Serra dos Candeeiros em busca de orquídeas terrestres, uma que fosse das prometidas 27 espécies que apreciam o calcário e os olhos-de-água rasos. Por ser a primeira visita, escolhemos o percurso da Senhora da Luz, contando com a iluminação mais apropriada ao nosso amadorismo.

A serra, sem a intervenção humana - pastoreio, olivais, extracção de pedra -, seria um paraíso povoado por carvalhos, sobreiros, azinheiras, azevinhos e medronheiros. Contudo, o que ali se desenvolveu é também uma forma de éden - o que mostra que mesmo os pecados graves podem ser perdoados -, com encostas soalheiras que contêm cerca de um quinto da flora do nosso território continental. De longe, os montes parecem agrestes de tão despidos, mas são de facto terra vermelha forrada de herbáceas que aproveitam todas as nesgas de solo e cada fenda da rocha. No sopé surpreendemo-nos com as centáureas roxas e os morriões azuis, tão longe da praia onde deveriam estar estendidos ao sol; no cume receberam-nos narcisos, nigelas, gerânios, ervilhacas, mantos de roselhas e sargaços a perder de vista e um cheirinho-a-serra feito de alecrim e tomilho.

Caminheiros de cidade, abandonámos os trilhos em bicos de pés e, de repente, avistámos várias hastes com flores enroscadas de brácteas venadas a escuro, capuchinho, garganta com pintas amarelas a fingir de pólen e uma curta língua triangular cor-de-ferrugem. Trata-se do serapião-de-flores-pequenas (Serapias parviflora), espécie perfumada de orquídea do sul da Europa.


Serapias parviflora

Pouco depois deparámo-nos com outra semelhante, mas de flores maiores - mais maduras, deduziu a nossa ignorância. Na verdade, é também um serapião, espécie protegida no oeste europeu que se distingue da anterior pela língua comprida, da cor do vinho. O perfil egípcio da inflorescência, o recomendado para melhor se ouvirem os sussurros, dá o nome ao género: Serapis foi um deus greco-egípcio, mistura de Osiris e do boi Apis, mas mais alma que carne.

P.S. Segundo António Flor, autor do livro Plantas a proteger no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, a orquídea em baixo não é uma S. cordigera, mas sim uma S. strictiflora ou S. lingua. António Flor teve ainda a amabilidade de nos enviar uma excelente foto de uma Serapias cordigera, que pode ser vista aqui.


Serapias lingua

Sem comentários :