26.10.09

Pegadas ao sol



Heliotropium europaeum L.

Tornassol, nome de planta e do irascível cientista surdo das aventuras do Tintin, é tradução à letra de Heliotropium. Diz-nos tal nome que ela, a planta, se deixa guiar pelo sol, no pouco que lhe é possível mexer-se. O girassol (Helianthus annuus) tem idêntico comportamento, mas nesse caso são as «flores» que se viram para a luz - e não as folhas, como sucede com o tornassol.

O exemplar da foto não pode queixar-se de falta de oportunidade para exercitar os seus tropismos: nada lhe faz sombra e o sol bate-lhe em cheio durante todo o santo dia. Vive ao lado do larguíssimo estradão que foi rasgado quando transformaram a serra em parque eólico. Aos sons da natureza - insectos, pássaros, vento - juntou-se o incessante zumbido das ventoinhas. Os automóveis, agora frequentes, levantam espessas nuvens de pó que, assentando, recobrem toda a vegetação que margina a via.

Fazia falta estrada assim tão larga? Em muitos dos lugares de Portugal que, nominalmente, são reservas naturais e deveriam estar a salvo de invasões desregradas, as eólicas foram o pretexto para franquear o acesso a todo o tipo de veículos. Aqui perto, ainda na aldeia de Bairro mas do outro lado da EN357, fica o Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios da Serra de Aire. O bicho-homem, fisicamente insignificante face aos monstros jurássicos, não pode competir com eles imprimindo no chão a marca do seu pé. Mas traz a sua maquinaria e deixa um rasto de paisagem destruída: é esse o seu monumento para a posteridade.

2 comentários :

Cintia disse...

Adoro as imagens e os textos desse blog! Parabéns!

Paulo Araújo disse...

Obrigado pela simpatia, e volte sempre.