4.6.10

Azul na língua


Anchusa italica Retz. (sinónimo: Anchusa azurea Mill.)

Algumas boragináceas parecem ter uma afinidade misteriosa com a língua, essa parte da anatomia animal que faz de polícia à entrada do tubo digestivo. Temos a língua-de-cão (Cynoglossum), a erva-das-cinco-línguas (Pentaglottis), a língua-de-cobra ou viperina (Echium) e, para completar o ramalhete linguístico, a língua-de-vaca, nome que calhou em sorte à Anchusa italica. É de supor que tal designação se deva ao formato das folhas, mas quem não goste dela tem muitas outras à escolha: buglossa, borragem-bastarda, erva-do-fígado, erva-sangue e orcaneta.

Em comum com outras plantas da mesma família (como a borragem), a Anchusa italica é um planta muito hirsuta, com o caule, as folhas e até os cálices das flores cobertos por pêlos eriçados. É uma planta perene, hirta e ramificada, que atinge um metro de altura e floresce de Maio a Agosto. As suas flores, com cerca de 2 cm de diâmetro, são de um azul intenso, com uma peculiar «almofadinha» branca no centro.

Pouco exigente no que toca às condições do solo, vegeta em campos de cultivo, prados e bermas de caminhos. Em Portugal, encontramo-la sobretudo no centro e no sul, mas a sua área de distribuição natural inclui praticamente toda a Europa, estendendo-se ainda ao Médio Oriente e ao extremo norte do continente africano. Como se tão vasto território lhe fosse insuficiente, instalou-se também nos EUA e no Japão, mas não parece ser considerada das invasoras mais problemáticas.

2 comentários :

GPC disse...

"língua de vaca" também é Fistulina hepática, um dos meus cogumelos preferidos...
Mas eu quero é um favor: diga-me qual é esta http://www.flickr.com/photos/pratacosta/
diz?
agradecido

Paulo Araújo disse...

A umbelífera amarela é a Thapsia e não a Ferula. As duas podem distinguir-se pela folhagem; veja a entrada sobre o assunto aí mais abaixo. Quanto ao outro arbusto para identificação, não consigo reconhecê-lo.