3.9.10

Loura e nórdica


Chrysosplenium oppositifolium L. - albufeira da Paradela

É às montanhas do norte, de regime atlântico, que se deve a presença em Portugal de algumas especialidades botânicas europeias. A saxífraga-dourada entra no nosso território pelo Gerês e vai saltando de pico em pico até à Serra da Estrela. É uma planta rasteira, com folhas opostas de não mais que 3 cm de diâmetro, que reveste muros e taludes próximos de fontes ou regatos, em orlas de bosques caducifólios. Floresce cedo, entre Março e Maio, aproveitando a luz que as árvores despidas de folhagem vão deixando passar. As flores diminutas (4 mm), de sépalas amarelas, surgem agrupadas em corimbos na extremidade de hastes que se erguem a uns 20 cm de altura (foto da direita).

Ainda que a Chrysosplenium oppositifolium não pertença ao género Saxifraga, integra a mesma família, e daí o nome saxífraga-dourada que adaptámos do inglês Golden saxifrage. A sua distribuição é europeia, virada a oeste e empurrada para norte: desde a Grã-Bretanha até à Noruega e até ao norte da Península Ibérica. Inexistente no Mediterrâneo, faz ainda assim uma incursão ao norte de Itália. Há uma espécie aparentada, a Chrysosplenium artenifolium, que está ausente de Portugal embora ocorra nos Pirenéus espanhóis. Partilha o gosto pelos mesmos habitats e tem uma distribuição global ainda mais vasta que a C. opositifolium, distinguindo-se desta, como sugere o epíteto específico, pela forma e disposição das folhas.

O género Chrysosplenium é formado por certa de sessenta espécies, quase todas oriundas das regiões temperadas ou frias do hemisfério norte; duas espécies sul-americanas são a excepção à regra.

1 comentário :

CCF disse...

Parecem nascer umas dentro das outras :)
~CC~