22.9.10

Pisar sem dar por ela



Ornithopus perpusillus L.

O nome científico desta leguminosa, Ornithopus, significa pé de pássaro em grego e deu origem à designação inglesa bird's foot. Alega-se, como justificação, que as suas vagens mais ou menos curvadas (como se podem ver na foto da esquerda) evocam essa parte da anatomia das aves. Para confirmar tal semelhança ao vivo, porém, só recorrendo a uma lupa, pois a planta é toda ela minúscula: as flores andam pelos 4 mm de diâmetro, e os frutos ficam-se pelos 2 cm. O mais provável é que a sua existência passe despercebida tanto a homens como a pássaros. Mas, ao contrário desses seres alados, nós andamos com os pés no chão e pisamos tudo o que se nos atravesse no caminho. Os pés-de-pássaro conhecem muito bem os pés do homem.

Em Portugal (e na Península Ibérica) ocorrem espontaneamente quatro espécies de Ornithopus, todas elas plantas anuais conhecidas popularmente como serradelas. Têm dimensões exíguas, apresentam folhas imparipinadas com muitos folíolos, dão flores amarelas, brancas ou rosadas, e são por vezes cultivadas como forragem. O O. perpusillus é especial por ser ainda de menor estatura que os seus congéneres (perpusillus significa aliás muito pequeno) e pela atraente coloração das suas flores: estandarte branco raiado de rosa, quilha amarela. A sua evidente vocação ornamental é frustrada pela pequenez: assim como há medidas mínimas para os modelos que desfilam na passerelle, também as há para as plantas que enfeitam jardins.

Embora prefira prados em lugares elevados (acima dos 800 m de altitude) e seja mais frequente em terras nortenhas, a serradela-miúda ocorre em grande parte do país: segundo a Flora Ibérica, só está ausente do Ribatejo e do Alto Alentejo. Quem quiser vê-la terá de a procurar no lugar certo (nós encontrámo-la no Marão e no Gerês, perto de Pitões das Júnias) e na altura certa (de Abril a Agosto, quando ela está em flor), e estar atento aonde põe os pés.

4 comentários :

rui fonseca disse...

Regalo-me com o vosso post e se não comento é porque não tenho nada a acrescentar.

Mas atrevo-me a fazer um pedido: Há dias, em viagem pela Suíça por razões familiares, vi que à entrada de Bellinzona havia um campo com uma plantação para mim totalmente estranha.

Ainda tentei saber do que se tratava junto de um restaurante vizinho ( por acaso o cozinheiro era português) mas não consegui que alguém identificasse a planta.

Fotografei-a e coloquei-a aqui:

http://aliastu.blogspot.com/2010/09/blog-post_14.html

Consegue identificá-la.
Para maximizar clique na foto sff.

Muito obrigado.

Paulo Araújo disse...

Gostava de poder ajudá-lo, mas de facto não consigo reconhecer a planta. Talvez alguém que passe por aqui possa dar uma ajuda.

Maria Carvalho disse...

A sua planta é um exemplar de Fagopyrum esculentum. É o trigo-mourisco, planta cultivada de origem asiática.

rui fonseca disse...

Muito obrigado!